ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

sexta-feira, 4 de março de 2016

Com Resende e irmãos Trad, PSDB emplaca projeto de ser imbatível nas próximas eleições

O deputado federal Geraldo Resende, embora tenha controle do PMDB de Dourados e nada ameace sua indicação para disputar a Prefeitura, pode buscar maior conforto à sua candidatura aceitando convite para ingressar no PSDB e fechar um dos elos principais do projeto tucano de tornar-se o partido mais forte política e eleitoralmente em Mato Grosso do Sul. 
A conversa entre o PSDB e Resende está muito adiantada, inclusive dentro de um contexto que delineia as seguintes projeções: eleito para administrar Dourados, ele abre vaga na Câmara dos Deputados para o primeiro suplente, Fábio Trad, que por sua vez já topou acompanhá-lo na fila de neo-tucanos. 
Paralelamente, calçados pelo apadrinhamento do PSDB, os outros irmãos Trad seriam contemplados com o apoio para concorrer à Prefeitura de Campo Grande (Marquinhos) este ano e ao Senado (Nelsinho) em 2018. Ambos já deixaram o PMDB: Nelsinho abrigou-se no PTB e Marquinhos comunicou sua filiação no PSD.
Geraldo Resende, fechando esse entendimento, deve esperar a Convenção do PMDB e, dentro do prazo dado pela legislação aos deputados para usar a janela da troca de partidos, assina a ficha do PSDB até o dia 18 deste mês. Não por acaso, o eficiente trabalho de articulação do qual se incumbe o tesoureiro do Diretório Estadual do PSDB e chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula, passa o final de semana intensificando o recrutamento de novas forças no interior. 
Em Dourados, Sérgio de Paula avistou-se com importantes interlocutores políticos, entre os quais o vereador Idenor Machado (DEM), presidente da Câmara Municipal, um dia após as filiações dos deputados Mara Caseiro e Maurício Picarelli e dos vereadores campo-grandenses Flávio César e Magali Picarelli. Na agenda dessas conversas, a garantia de espaços para os projetos eleitorais deste ano e o compromisso com a sustentação política e administrativa do programa de governo de Reinaldo Azambuja.
A importância política de Dourados, segundo maior colégio eleitoral do Estado, e a força da candidatura de Resende conferida nas pesquisas pelos dirigentes do PSDB, embalam a montagem dessa verdadeira máquina de fazer votos. Ao mesmo tempo, consolida no mosaico das disputas partidárias do Estado o processo de enfraquecimento de forças que eventualmente podem atrapalhar o voo tucano, como o PMDB e o PT.
A adesão dos irmãos Trad ao projeto é de substancial poder decisivo para o projeto: Nelsinho, que já foi prefeito duas vezes, e Marquinhos, reeleito pela segunda vez como campeão das urnas, somados a Fábio - que vem de um mandato federal com grande votação na cidade – alimentam o poder de fogo para alongar a hegemonia política e administrativa do tucanato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário