ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

quarta-feira, 16 de março de 2016

Juiz nega liminar a Bernal contra vídeo sobre piso salarial de professores

Aline dos Santos


Professores fazem mobilização por reajuste. (Foto: Marcos Ermínio)Professores fazem mobilização por reajuste. (Foto: Marcos Ermínio)
A Justiça negou liminar ao prefeito de Campo Grande,Alcides Bernal (PP), que pedia a retirada de vídeo em que Fetems (Federação dos Trabalhadores emEducação) desmente informações do poder público sobre o piso salarial dos professores.

Na ação de indenização, Bernal solicitou a imediata retirada dos meios de comunicação da “matéria editada ofensiva à reputação”. Ele ainda requisitou que a federação deixasse de ligar seu nome a suposto desrespeito ao piso mínimo do professor, pois se tratariam de decisões decorrentes de atos praticados por governos anteriores.
A liminar foi negada pelo juiz da 14ª Vara Cível, Fábio Possik Salamene. Para o magistrado, não se tem certeza de que as críticas são infundadas e destinadas a difamar o prefeito. “Noutro vértice, não se pode olvidar a própria natureza jurídica da ré, que, como federação dos trabalhadores da educação, deve ter assegurado, no mínimo, o direito de reivindicar melhores condições de trabalho aos seus federados, o que inclui pleitear aumento da remuneração”, informa o juiz na decisão.
No começo de março, a prefeitura divulgou peça publicitária, veiculada em TV aberta, informando que salário inicial de um educador na Capital ultrapassa os R$ 5 mil.
Em resposta, a Fetems divulgou um vídeo afirmando que o valor correto é R$ 1.697,37 por 20 horas e ainda acrescentou trechos de um discurso feito por Bernal durante a campanha. Nas imagens, ele promete respeitar o piso nacional, respeitar e ouvir a categoria. Nesta quarta-feira (dia 16), os professores fazem o segundo dia de paralisação por reajuste salarial em Campo Grande.

Nenhum comentário:

Postar um comentário