ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 1 de março de 2016

Mato Grosso do Sul é o terceiro estado do Brasil que menos gastou com saúde por habitante em 2014

Mato Grosso do Sul está entre os 18 estados brasileiros que ficaram abaixo da média em investimentos na área da saúde. O Estado é o terceiro pior investidor em saúde do Brasil ficando na frente apenas de Pará (R$ 0,74 por habitante ao dia), Maranhão (R$ 0,77). Já os melhores investidores em saúde são: Distrito Federal, o primeiro colocado (R$ 3,27), Acre (R$ 2,92) e Tocantins (R$ 2,50).
Segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira (29) pelo Conselho Federal de Medicina realizada em parceria com ONG Contas Abertas, o Estado gastou com cada habitante (per capita), em 2014, período pesquisado, R$ 0,80 por dia, R$ 0,58 abaixo da média nacional R$ 1,38. No total, o Estado investiu R$ 777.693.746,48 milhões na saúde pública em 2014, já a Capital investiu R$ 983.074.348,24 milhões.
Conforme pesquisa, União, estados e municípios reduziram os gastos com saúde em 2014 em relação a 2013. Em ritmo regressivo, as aplicações em saúde por parte da esfera pública, já corrigidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caíram 0,93% entre 2013 e 2014, atingindo a cifra de R$ 290,3 bilhões, cerca de 3 bilhões a menos que 2013. Esse montante agrega todas as despesas na chamada “função saúde”, destinada à cobertura das ações de aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e outras com impacto direto na área. Boa parte desse dinheiro é usada também para o pagamento de funcionários, dentre outras despesas de custeio da máquina pública.
No cenário mundial, desempenho do Brasil é baixo - Dados do Global Health Observatory Data Repository, mantido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam que do grupo de países com modelos públicos de atendimento de acesso universal o Brasil era, em 2013, o que tinha a menor participação do Estado (União, Estados e Municípios) no financiamento da saúde. Esta é analise mais recente com relação ao tema.
Considerando a fatia pública do total das despesas em saúde, no Brasil, esse percentual é de 48,2%. A proporção é baixa se comparada ao verificado em países como o Reino Unido (83,5%), França (77,5%), Alemanha (76,8%), Espanha (70,4%), Canadá (69,8%), Argentina (67,7%) e Austrália (66,6%).
Em se tratando de despesas em saúde per capita, em dólares, o Brasil, que gasta US$ 1.085, incluindo os gastos feitos pelos setores público e privado. Seu desempenho só não está pior do que a Argentina (US$ 1.074). Estamos deficitários em relação a todos os demais países mencionados: Canadá (US$ 5.718), Alemanha (US$ 5.006), França (US$ 4.864), Reino Unido (US$ 3.598), Espanha (US$ 2.581).

Nenhum comentário:

Postar um comentário