ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 31 de março de 2016

Vereadores rejeitam empréstimo de R$ 12,5 mi do Executivo

Ao final, os vereadores mandaram recado para Bernal: "há outras prioridades"

Os vereadores da Câmara Municipal rejeitaram por 22 votos contra e três a favor, o projeto que autorizava o Poder Executivo a contratar financiamento no valor de R$ 12,5 milhões, junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) por intermédio da Caixa Econômica Federal.

Para o presidente da Casa de Leis, João Rocha, do PSDB, se os vereadores tivessem aprovado o projeto, a prefeitura perderia a capacidade de contrair novos empréstimos caso precisasse. "Em tempos em que estamos sofrendo com enchentes, dengue, em que temos essas necessidades, nós estaríamos diminuindo a reserva. A nossa capacidade de empréstimos para resolver essas questões".

O vereador Eduardo Romero, do Rede, ainda lembrou que a cidade fechou em 2015 com R$ 1 bilhão a menos no orçamento. E que, nesse ano, a prefeitura já trabalha com uma arrecadação no valor de R$ 500 milhões. "Nós já sabemos que a prefeitura vai fechar novamente no vermelho. Uma cidade que não tem condições de cumprir seus compromissos, ainda quer fazer empréstimos e depois vai pagar como? Nós temos outras prioridades", afirmou.

Carlão, do PSB, também lembrou que o município hoje é considerado um dos piores na área da saúde no Centro-Oeste e que um empréstimo feito com uma instituição internacional seria cobrado em dólar. "Eles querem agilidade só para sangrar a cidade. Nós teríamos que pagar em dólares os ajustes".

Outro parlamentar a comentar o caso foi o vereador Edil Albuquerque, do PMDB, que lembrou o fato do prefeito, até o momento, não ter pagado as entidades sociais que passam por privações e correm o risco de serem fechadas. Além da situação das vias da cidade, que estão cheias de buracos. "Nós sabemos ainda que falta tão pouco para concluir unidades de saúde, e não poderia votar esse projeto", finalizou.

Projeto
O projeto tinha como finalidade, atualizar o sistema computacional, de forma a garantir softwares necessários aos diversos sistemas gerenciais praticados pela prefeitura.


Ele ainda previa a atualização do sistema de geoprocessamento interligando todas as unidades da administração, proporcionando mais rapidez; capacitação de servidores; melhorar o atendimento ao cidadão; e atualizar o sistema de gestão de receita para melhorar a forma de arrecadação do município e ampliar investimentos. Tudo isso orçado em R$ 12,5 milhões. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário