ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Policiais e bombeiros ameaçam aquartelamento e MS pode ficar sem serviço


Nova rodada de negociações está prevista para 11 de abril, mas assembleia na tarde de hoje (1º) deve definir situação da categoria

A ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) reúne a diretoria, na sede da instituição, para definir um plano de ações a ser apresentado para a categoria profissional. Eles participam de assembleia que ocorre hoje (1°), ás 15 horas, na unidade da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), e podem determinar o aquartelamento, ou seja, não saírem para a realização do trabalho em campo.

"Estamos decepcionados com essa proposta [de melhoria salarial] no valor de R$ 200 como abono. Ficamos surpreendidos. O correto é o reajuste linear, percentual e abono. Chega a ser desrespeitoso e esdrúxula com homens e mulheres que colocam a vida em risco para defender a população, oferecendo segurança", declarou o presidente da ACS, Edmar Soares da Silva.

Na manhã de ontem (31), a equipe do Governo de MS apresentou proposta de aumento no valor de R$ 200 no salário dos soldados a coronéis, o que não atende as exigências da categoria.
  
"Vamos levar essa proposta esdrúxula para os 9 mil policiais militares e bombeiros para decidirem o que se devem fazer. Em 1997, foi feito o aquartelamento que consiste em um tipo de greve que os militares permanecem no quartel para reivindicar algo e durou sete dias. Em 2005, teve outra vez e durou cinco dias e o último foi em 2013, que durou três dias. Não queremos que isso ocorra novamente e que chegue a esse ponto", aponta Edmar.
 

Segundo ele, o pleito é antigo e não pode ser ignorado. "Esse reajuste está sendo pedido desde dezembro de 2015. E vamos lembrar das correções  do quinquênio para, a cada cinco anos, ocorrer 5% de aumento. Triênio também com 3% e no sétimo nível para que os militares permaneçam no trabalho durante 30 anos e promoção automática dos praças".

A nova reunião para mais uma rodada de negociação  com o Governo de MS está marcada para o dia 11 de abril na SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização).

Nenhum comentário:

Postar um comentário