ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Lava Jato volta a Mato Grosso do Sul e investiga concessão da BR-163

Operação analisa troca de mensagens entre o delator da Lava Jato e executivo


Uma das 'estrelas' da Lava Jato, Mato Grosso do Sul entrou novamente no alvo da maior operação já realizada no País. Agora, o alvo da investigação da Polícia Federal é a concessão da BR-163 no Estado. Esse é apenas mais um caso que MS se destaca na Lava Jato, após as 'participações especiais' de Delcídio do Amaral e Vander Loubet, só pra citar dois exemplos.

Uma conversa flagou empresários 'comemorando' a concessão da BR-163 para o grupo CCR em Mato Grosso do Sul e agora faz parte da Lava Jato, que investiga suposto esquema de cartel e corrupção, primeiramente descoberto na Petrobrás.

Conforme o portal UOL, o delator da Lava Jato e ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, teria trocado uma série de mensagens com o executivo do Grupo CCR, Ricardo Mello Castanheira, entre os dias 12 de novembro e 19 de dezembro de 2013.

Nas conversas, ambos falam sobre as concessões realizadas pelo governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) e citam tratativas com o então ministro de Transportes, Cesar Borges, e da Casa Civil, a atual senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que já trabalhou em Mato Grosso do Sul durante a gestão de Zeca do PT.

A mensagem que encerra o diálogo é "parabéns a esse time campeão". A congratulação foi encaminhada de Azevedo para Castanheira, em resposta a uma mensagem que havia recebido anteriormente do executivo do Grupo CCR que dizia: "Você já deve saber. Ganhamos a 163 MS, Gleisi mandou um abraço e agradeceu. César Borges muito feliz. Abs [sic]".

No dia 22 de novembro de 2013, outra mensagem acabou sendo divulgada pelo Uol, onde Azevedo diz a Castanheira: "a Gleisi acabou de ligar e disse que falou com você".

Ao analisar as mensagens, a Polícia Federal afirmou que "observa que a CCR foi vencedora do leilão referente ao trecho da BR-163 no Mato Grosso do Sul com deságio de 52,74%, sendo que cerca de 20 dias antes a Odebrecht foi vencedora da licitação da BR-163 no trecho do Mato Grosso com deságio de 52%".

Gleisi é uma das investigadas nos inquéritos da Lava Jato que correm no STF (Supremo Tribunal Federal), alvos da Operação que contam com foro privilegiado. O marido dela, ex-ministro do Planejamento e Comunicações, Paulo Bernardo, foi preso no dia 23 de junho deste ano, alvo da Operação Custo Brasil, desmembramento da Operação Lava Jato.

A CCR MS Via venceu a licitação para duplicar a rodovia do Estado durante a gestão do ex-governador André Puccinelli (PMDB). Em nota, a empresa informa que se trata apenas de uma comemoração da vitória.

"O sucesso da 3ª Etapa de concessões de rodovias federais, da qual faz parte o trecho sul-mato-grossense da BR-163, foi comemorado pelo governo federal e pelo setor como indicação de retomada dos investimentos em infraestrutura rodoviária, sobretudo com disputas que resultaram em grande deságio. A celebração pelo bom resultado no leilão foi ainda maior por conta do cenário apresentado na licitação realizada anteriormente, referente à BR-262 (Belo Horizonte até Espírito Santo), também prevista na 3ª Etapa de concessões, que não registrou a participação de nenhuma empresa interessada", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário