ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Gaeco: investigação em sigilo de flagra de Paulo Correa ensinando a fraudar ponto

Parlamentar teria orientado colega a fraudar ponto folha de ponto de assessores

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), braço forte do MPE-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), confirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que já investiga o episódio envolvendo os deputados estaduais Paulo Corrêa (PR) e Felipe Orro (PSDB), flagrados numa escuta telefônica em que o republicano teria supostamente orientado o colega a fraudar a folha de ponto de assessores nomeados na Assembleia Legislativa.
De acordo com a assessoria de imprensa do MPE, o Gaeco impôs sigilo na investigação. O TCE (Tribunal de Contas do Estado) também foi acionado depois da denúncia, mas a Corte ainda não se manifestou sobre o caso. Funcionários do Tribunal informaram que o expediente por lá funciona somente à tarde.
De acordo com a denúncia, o deputado Paulo Corrêa, numa conversa que durou cerca de três minutos, mostrou-se preocupado com Felipe Orro, que não estaria controlando certo o ponto de entrada e saída e de seus assessores. Ou seja, o tucano poderia estar incorrendo em erro ao não levar a serio a folha de ponto dos assessores.
A conversa teria sido gravada há pelo menos um ano. Orro confirmou ao Jornal Midiamax que, de fato, conversou com Paulo Corrêa pelo telefone de um pastor que mora na cidade de Maracajú e que emprestou o aparelho celular a ele.
Orro disse ser verdadeiro o áudio captado do diálogo entre ele e Paulo Corrêa. Ele admitiu também que emprega funcionários 'além da cota' e que cada um dos 24 parlamentares da Assembleia recebe mensalmente cerca de R$ 70 mil para quitar a folha dos servidores contratados pelos deputados.

DIÁLOGO

Trecho do diálogo diz que Corrêa faz uma alerta ao colega, citando que os dois tem assessores “demais”.
“Você e eu temos bastante, você sabe que nós temos mais que os outros, não sabe? Põe um controle de ponto, mesmo que seja fictício. Do começo do ano até agora. Pega o seu chefe de gabinete e mandar agir (...) Todo dia aquelas pessoas (supostamente os assessores) tem que assinar o ponto, até que passe esse rolo aí”, é uma parte da conversa.
Segue o diálogo dos dois parlamentares: “Pega lá desde o dia 15 de fevereiro para cá e manda todo mundo assinar> Vamos dizer que você tenha 20 em cota normal, mas tem mais 20. Faz os 40 assinar. Faz uma folha dos 20 normais e uma folha dos 20 que você tem. Assina e pronto, deixa sempre assinado do dia anterior”, orienta Paulo Corrêa, que acrescenta: “estou sugerindo porque eu gosto de você”.
Até a manhã desta segunda-feira (31), o deputado Paulo Corrêa não tinha se manifestado. O Jornal Midiamax tenta conversar com dele desde a sexta-feira. A assessor dele informou nesta manhã que estava tentando, mas ainda não havia feito contatos com o parlamentar.
Já a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa divulgou uma nota no sábado. Veja a seguir:

NOTA ASSEMBLEIA

Tendo em vista questionamentos recentes nas redes sociais relacionados à política de recursos humanos do Poder Legislativo, cabe esclarecer:
1 – A Assembleia promoveu um amplo recadastramento de seus servidores, criou o Programa de Aposentadoria Incentivada e está realizando o primeiro concurso público de sua história com o objetivo de modernizar sua política de recursos humanos, corrigindo eventuais distorções e tornando-a mais adequada a suas necessidades e às exigências de controle e avaliação de resultados.
2 – Adota um controle rigoroso de presença e assiduidade em todas as suas diretorias e departamentos e orienta que os mesmos critérios sejam utilizados nos gabinetes parlamentares, responsáveis pelo controle de seus servidores.
3 – A Mesa Diretora vem adotando desde o início da atual gestão um conjunto de medidas administrativas cujo principal objetivo é dotar o Poder Legislativo de melhores condições para o exercício de suas funções entre as quais destaca-se:
4 - A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul tem compromisso com a verdade com a transparência e está disposta a tomar todas as medidas necessárias para não se afastar dele. 


Sim

Nenhum comentário:

Postar um comentário