VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Polícia usará dados de celular e vídeos para investigar execução de Alceu Bueno



Alceu foi identificado nesta tarde 




  • (Foto: Geisy Garnes)
  • A Polícia Civil vai usar quebra de sigilo telefônico e imagens das câmeras de segurança localizadas na região do Condomínio Beirute para desvendar o assassinato do ex-vereador Alceu Bueno. O corpo do ex-político foi encontrado carbonizado e com sinais de estrangulamento na manhã desta quarta-feira (21), no Jardim Veraneio.
    De acordo com o delegado Edilson dos Santos, responsável pelo caso e titular do Garras (Delegacia de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros), o celular do ex-vereador ficou derretido e não pode ser aproveitado na análise da perícia. Por isso, será feito o pedido de quebra de sigilo telefônico para ver se a vítima recebeu alguma ligação suspeita, ou ameaças.
    Além disso, a polícia já analisa imagens das câmeras de segurança do Condomínio Beirute, local próximo a onde o corpo do ex-político foi encontrado. “A gente tem diversas linhas de investigação, não podemos nos precipitar e informar que foi queima de arquivo, ou que o crime pode estar ligado a qualquer outro tipo de delito”, explicou o delegado, se referindo ao caso de exploração sexual infantil em qual o ex-vereador se envolveu em 2015.

    Agora, as investigações devem refazer os últimos passos de Alceu Bueno. De acordo com a polícia, o último contato da vítima com a família aconteceu por WhatsApp às 21h30, desta terça-feira (20), em uma conversa normal.
    Depois disso, ele saiu do depósito de material de construção, que é proprietário e não foi mais visto. Ainda de acordo com a família, ás 22 horas, o aparelho saiu do ex-vereador saiu de área.
    O carro do ex-vereador, uma Land Rover, foi levado pelos possíveis autores e ainda não foi encontrado. Segundo Edilson, o veículo já está no sistema do Estado e caso seja abordado em barreiras policiais será apreendido. A advogada da família Renata Freitas, não quis comentar o caso com a imprensa.

    Entenda 

    Desde o momento em que o homem foi encontrado, por volta das 7 horas desta manhã, a polícia já divulgava que fortes indícios indicam que o corpo era do ex-vereador.
    Um celular idêntico ao dele foi encontrado ao lado dos restos mortais e além de pinos de metais no braço do cadáver, iguais aos que o político tinha, como resquício de um acidente de motocicleta. Também foi encontrado, junto ao corpo carbonizado, distintivo semelhante ao que Bueno usava quando parlamentar, informações confirmada pela família dele. A confirmação, foi veio no fim da tarde, através da identificação das digitais.
    José Alceu Padilha Bueno foi eleito em 2012 e renunciou em 2015 depois de ter sido flagrado em um motel com duas adolescentes, com menos de 18 anos. Ele foi indiciado por ‘favorecimento à prostituição ou de outra forma de exploração sexual de vulnerável’. Imagens de um vídeo no qual o ex-vereador aparecia com as garotas no motel chegaram a ser divulgadas à época.
    Bueno alegou que era vítima de um esquema de extorsão, assim como o ex-deputado estadual Sérgio Assis, também flagrado no motel com as adolescentes. Três pessoas, Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e o ex-vereador Robson Martins, foram presos pelo crim

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário