VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

ABSURDOS: Prefeito faz confusão entre público e privado e tenta impedir trabalho de vereador

O fato de um vereador estar trabalhando em um espaço público não significa que ele está fazendo campanha eleitoral, pedindo voto. Mas o entendimento da atual administração da prefeitura de Campo Grande não condiz com o que determina a lei eleitoral, uma vez que espaço público tem sido tratado como privado. Episódio recente que mostra despreparo de quem está à frente da prefeitura ocorreu na tarde de ontem, 29 de agosto, durante reunião no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed) sobre educação especial, com ênfase nos alunos autistas.
Mães de alunos autistas, integrantes da Divisão de Educação Especial da Semed, o vereador Eduardo Romero (Rede Sustentabilidade) e advogados discutiam sobre vários assuntos ligados à educação como a contratação de estagiários para lidar com este público, bem como a formação dos mesmos para atuação em sala de aula. Em determinado momento um guarda civil municipal interviu na reunião e pediu ao vereador que se retirasse do local. O argumento foi de que é período eleitoral e o parlamentar não poderia estar dentro da Semed.
Para evitar que a reunião fosse suspensa, Eduardo Romero se retirou e com isto não pode mais discutir o assunto com as mães e a Divisão de Educação Especial como, por exemplo, os dois ofícios (números 177 e 186/2016) que seu gabinete encaminhou para a secretaria questionando sobre contratação de estagiários e preparação dos mesmos para lidar com os alunos especiais.
‘O episódio foi lamentável. A prefeitura está tratando um espaço público como privado. Está colocando as regras que ela acha certo ou conveniente. Eu estava lá como vereador que desde que assumiu o mandato tem trabalhado com estas mães por uma educação especial de melhor qualidade, tanto que temos ofícios não respondidos pela Semed sobre este assunto e iríamos novamente falar sobre o tema’, explica Eduardo Romero.
Eduardo Romero estava na Semed exercendo seu papel de vereador (que como prevê a lei não precisa se licenciar da vereança e continua com suas atividades parlamentares durante a campanha), a convite das mães de alunos autistas e portava ofícios não respondidos pela secretaria para pedir pessoalmente respostas. ‘Questionar políticas públicas não é fazer campanha política, até porque estamos conversando com as mães dos autistas e também com a associação que as congrega há muito tempo. Não caímos de paraquedas no assunto. Nosso mandato é realmente envolvido com a causa. Infelizmente, a visão da prefeitura é pequena e está vendo todo mundo como adversário político e pessoal, ao invés de entender que quanto mais gente trabalhando por causas como esta mais se dá um passo à frente’, finaliza o vereador.

Justiça nega recurso de Bernal e site da prefeitura continua fora do ar

 

Com recurso negado, site da prefeitura de Campo Grande continua fora do ar (Foto: Com recurso negado, site da prefeitura de Campo Grande continua fora do ar (Foto:
O juiz eleitoral, Cesar Luiz Miozzo, negou o recurso do prefeito Alcides Bernal (PP), que tentou colocar o site da Prefeitura de Campo Grande novamente no ar. A página permanece sem notícias ou comunicados, desde o dia 24 de agosto, quando foi aceito um pedido de liminar, para retirada de conteúdo que estaria "promovendo o prefeito", durante a campanha.

A liminar foi aceita pelo juiz Paulo Henrique Pereira, acatando pedido da Coligação "Juntos por Campo Grande", da candidata a prefeita Rose Modesto (PSDB), que alegou que algumas matérias do site e do Facebook da prefeitura municipal, estavam fazendo propaganda do prefeito, que é candidato a reeleição.
Na decisão, justifica que neste momento não há como aprofundar se o conteúdo trata-se de propaganda institucional, mas a veiculação de propaganda fora dos casos previstos “tende a desequilibrar a isonomia e deve ser coibida de imediato”.
Defesa - No recurso, Bernal alegou que a liminar poderia gerar "riscos e prejuízos irreparáveis" ao pleito e por violar o direito de acesso à informação. Ainda justificou que não houve a publicação de propaganda institucional, em período proibido pela justiça eleitoral. 
O magistrado justificou que não poderia "suspender" liminar, porque não tinha a prerrogativa para avaliar o caso, restando uma ação na primeira instância para abertura de prazos e depois em decisão definitiva de mérito. Com esta decisão, o site da prefeitura continua fora do ar.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Bernal é denunciado por abuso de poder ao usar funcionários na campanha

Os advogados Luiz Carlos Santini e Rafael Antônio Scaini, da chapa “Por Uma Campo Grande Melhor”, protocolaram ação de investigação judicial eleitoral por abuso de poder político e de condutas vedadas por agentes públicas contra o prefeito Alcides Bernal (PP). Dois funcionários da Prefeitura Municipal de Campo Grande, com dedicação integral, estão sendo usados na campanha eleitoral.
Odimar Luís Marcon exerce os cargos de chefe de Gabinete e secretário municipal de Governo e de Relações Institucionais. Apesar de ocupar duas funções com dedicação exclusiva, ele foi nomeado como representante legal do PP junto à Justiça Eleitoral, cargo equivalente ao de presidente de partido. Já o delegado da Polícia Civil Valmir Messias de Moura Fé, que exerce a função de ouvidor geral do município, foi indicado para ser o delegado do partido. Nenhum dos dois se licenciou, afastou ou tirou férias para dedicar-se à campanha eleitoral.
A ação na 44ª Zona Eleitoral foi protocolada na tarde de hoje. Eles pedem a sanção da inelegibilidade para as eleições deste ano e nos oito anos subsequentes para Bernal, o candidato a vice-prefeito na coligação, Ulisses Duarte, Marcon e Moura Fé. Também requerem a cassação do registro de candidatura ou, em caso de eleição, do diploma, e por consequência do mandato, caso eleito.
Santini explica que a chapa Por Uma Campo Grande Melhor, do candidato a prefeito Coronel David (PSC|), não quer tirar a cidadania dos funcionários públicos. Ele explicou que a legislação eleitoral proíbe a participação de funcionários pagos pelos cofres públicos de campanhas eleitorais.
“No presente caso, a gravidade se manifesta em especial, pela posição ocupada pelo requerido Alcides Bernal, na condição de prefeito municipal de Campo Grande/MS, bem como, de presidente regional do Partido Progressista, permitiu e está utilizando de 2 (dois) servidores públicos por este nomeados para trabalharem em benefício do partido e da coligação da qual é candidato a reeleição”, destacam.
“Nesse sentido, a conduta do requerido Alcides Bernal é extremamente grave, além de afetar a igualdade e a legitimidade das eleições municipais em Campo Grande, pelo uso ilegal e abusivo da função pública que exerce, bem como, de servidores públicos de alto escalão e diretamente a este vinculados”, concluem. (Com informações da assessoria do Cel David)

Grande incentivador de empresários, Edil faz fortuna investindo em imóveis de luxo




Edil Albuquerque, do PTB, registrou patrimônio de R$ 2,052 milhões no Tribunal Superior Eleitoral. Na declaração estão diversos investimentos entre aquisição de veículos e imóveis. Neste último, destacam-se mais de R$ 600 mil aplicados em compra de apartamentos de luxo. Seis são flats no Bahamas Apart Hotel, localizado em um dos endereços mais nobres da Capital. 
Conforme consta na declaração do vereador, os flats no Bahamas Apart Hotel foram adquiridos no período de 2001 a 2008. Em 2001, por exemplo, o vereador comprou duas unidades no valor de R$ 10,1 mil e R$ 40 mil. Em 2012, mais um por R$ 50 mil. Duas unidades foram adquiridas no valor de R$ 70 mil cada uma. E a última, em 2008, no valor de R$ 60 mil. No entanto, o valor comercial pode ser superior ao valor declarado. O aluguel em uma unidade custa cerca de R$ 1,5 mil por mês. 
Outros investimentos em apartamentos de luxo estão, por exemplo, na aquisição de um imóvel localizado na Avenida Afonso Pena, no Bairro Chácara Cachoeira, no condomínio Jardins do Jatobá, no edifício Solar das Flores, em 2012, no valor de R$ 175,7 mil. Outro apartamento térreo e com vaga na garagem, também na Avenida Afonso Pena, está no Edifício Residence Service, adquirido em 2002, no valor de R$ 50 mil. Há ainda uma casa, na Rua Domingos Marques, no Condomínio Jardim Alegre, no valor de R$ 280 mil. O valor comercial pode ser bem superior ao informado.
Carreira política
Em 30 anos de vida pública, Edil Albuquerque tenta, nesta eleição, o quinto mandato como vereador em Campo Grande. No Executivo, o vereador já acumulou cargos como secretário municipal Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência e Tecnologia e do Agronegócio (Sedesc) e foi, inclusive, vice-prefeito da Capital, durante a gestão do ex-prefeito Nelson Trad Filho, do PTB.
Entre os projetos de destaque, o vereador que deixou o PMDB no primeiro semestre deste ano, durante a abertura da janela partidária, foi o responsável pela elaboração e execução do Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico e Social (Prodes), entre 2000 a 2012, e depois, em 2014. O programa tinha como objetivo aprovar incentivos a empresas interessadas em participar do Prodes, por meio de doações de terrenos. No entanto, esse projeto foi alvo de polêmicas e investigação do Ministério Público Estadual, principalmente, em 2015, após denúncias de 'interesses pessoais' no processo. Ainda assim, em 2014, 110 empresas foram contempladas. 
De acordo com o sistema de projetos da Câmara Municipal, até o momento, o parlamentar apresentou dois projetos de lei. O último, datado de 24 de agosto, dispõe sobre o encaminhamento “vaga zero” do paciente renal crônico em Terapia Renal Substitutiva (TRS) em situação de urgência para as unidades hospitalares da rede pública. E o de mais destaque, em maio de 2016, que suspende a cobrança da contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip), no âmbito da Capital. Em 2012, a declaração patrimonial do parlamentar foi de R$ 1,4 milhão. 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Marquinhos parte para o ataque em vídeo e avisa que ‘tudo tem limite’

Após repercussão de boatos pejorativos, o candidato à prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) utilizou as redes sociais nesta terça-feira (22) para chamar os demais candidatos para o debate.
Trad partiu para o ataque e convidou os demais para debaterem, "Afinal de contas tudo tem limites, vocês podem fazer montagem de vídeos, bate papos, afinal só nisso que vocês são bons", afirmou no vídeo.
O candidato reforça e pede respeito que deve ter as famílias, "Agora respeitem as crianças, respeitem as famílias, não sujem a cidade mais do que já está".
Também durante o vídeo, Marquinhos avisa para os adversário: “E se prepara que no debate não tem como se esconder, não tem perfil fake, no debate é olho no olho e a mentira irá aparecer”. Ele disputa o cargo de prefeito de Campo Grande e a votação ocorre no dia 2 de outubro.

Apesar de crise, prefeitura firma contrato de R$ 5,6 milhões com empresas de eventos

A prefeitura de Campo Grande assinou um contrato de R$ 5.662.745,73 com três empresas que fornecem equipamentos para a realização de eventos. De acordo com o Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta terça-feira (23), os valores incluídos na ata de preços do município têm validade pelos próximos 12 meses.
As empresas são especializadas em “locações de tendas, arquibancadas, sanitários químicos portáveis, fechamentos laterais, camarins, camarotes, fechamento de metalon, piso acarpetado, barricadas, grades de proteção e locação de praticável e palco”. São as vencedoras do certame a K.S.M Estruturas para Eventos Ltda-ME; a Ekobox Locações EIRELI EPP; e a MT Estruturas para Eventos Ltda – EPP.
Segundo o município, as despesas “correrão a cargo dos Órgãos ou Entidades Usuários da Ata, cujos Programas de Trabalho e Elementos de Despesas constarão nas respectivas notas de empenho, contrato ou documento equivalente”. Assinam o documento o secretário de Administração Ricardo Trefzger Ballock e os empresários Kermson Silva Martins, Leonardo de Paula Maravieski e Antônio Inácio Rosa.
O contrato chegou a ser publicado ontem (22), mas com um problema de digitação. No extrato antigo constava que as empresas forneceriam medicamentos adquiridos pelo município em determinação de ações judiciais. 

‘Laranja’ de casal Olarte fez doações para campanha de Elizeu Dionizio

Apontado como possível ‘laranja’ do casal Gilmar e Andréia Olarte, o empresário Evandro Simões Farinelli é um dos doadores de campanha do deputado federal Elizeu Dionizio (PSDB). Conforme prestação de contas registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ele doou ao então vereador e candidato o valor de R$ 5 mil, através de transferência eletrônica, em 02 de outubro de 2014.
Evandro, Ivamil Rodrigues de Almeida e o casal Olarte foram presos na semana passada, dia 15 de agosto, quando foi deflagrada a Operação Pecúnia, por causa de investigações que tiveram início a partir dos dados obtidos com a quebra do sigilo bancário de Andréia Olarte e de sua empresa, a Casa da Esteticista. 
De acordo com o MPE (Ministério Público Estadual), entre os anos 2014 e 2015, enquanto Gilmar ocupava o cargo de prefeito, “sua esposa adquiriu vários imóveis na capital, alguns em nome de terceiros, com pagamentos iniciais em elevadas quantias, fazendo o pagamento ora em dinheiro vivo, ora utilizando-se de transferências bancárias e depósitos, os quais, a princípio, são incompatíveis com a renda do casal”.
Ivamil é apontado como “corretor de imóveis e braço direito do casal nas aquisições imobiliárias fraudulentas” e Evandro como a “pessoa que cedia o nome para que as aquisições fossem feitas em nome de Andreia Olarte”.  Em depoimento, tanto a primeira-dama afastada quanto Gilmar negaram as acusações.
O filho do casal, um rapaz de 22 anos que não teve a identidade revelada, ainda alegou que apenas trabalhou como estagiário em obra no residencial Dahma ligada a Evandro, sendo que o 'chefe' nunca atuou como laranja da família. O jovem é estudante de arquitetura e também conversou com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) na condição de testemunha.
Bancada federal
Os nomes Evandro ou de Ivamil não aparecem na prestação de contas dos demais membros da bancada federal de Mato Grosso do Sul. A reportagem tentou entrar em contato com Elizeu Dionizio por telefone, mas não recebeu retorno até o fechamento desta matéria.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

TJ diz não a pedido de Andreia Olarte para não ficar com ‘homens’ no Garras


STJ já havia negado soltura a ex-primeira dama
  • Presa pelo Gaeco, ex-primeira dama quer conversão de preventiva em prisão domiciliar (Foto: Henrique Kawaminami)
  • A defesa da ex-primeira dama da Capital, Andréia Olarte, presa na última segunda-feira (15), no âmbito da Operação Pecúnia, tentou uma liminar para soltar a esposa do ex-vice-prefeito afastado, Gilmar Olarte, mas viu o TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) negar o pedido.
    O desembargador do plantão, Manoel Mendes Carli, indeferiu, neste domingo (21), o pedido de liminar que pedia a transferência de Andréia para o Presídio Feminino, ‘para evitar que fique recolhida em delegacia com pessoas do sexo masculino’.

    Em sua decisão, o desembargador explicou que foi informado, pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), de que no local há duas celas, uma para homens e outra para mulheres, onde se encontra a ex-primeira dama.
    “Andréia está na cela feminina com outra detenta, ou seja, não demonstrado,de plano, possibilidade de ocorrência de lesão grave e de difícil reparação ou risco à integridade física da requerente”, disse o desembargador.
    A esposa de Gilmar Olarte chegou a ser levada, escoltada, para um hospital da Capital, mas retornou ao Garras, onde está presa, por volta das 8h30 deste domingo, depois de ter sido atendida por médicos.
    Mendes Carli já havia decidido, no sábado (20), liberar Andréia para o hospital, e determinou que o pedido de conversão de prisão preventiva em prisão domiciliar fosse encaminhado ao desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva.
    Pecúnia
    Na última segunda-feira (15), a Justiça determinou a prisão do vice-prefeito de Campo Grande, afastado desde agosto do ano passado, Gilmar Olarte, do PROS, da mulher dele, Andréia Nunes Zanelato Olarte, e ainda de Evandro Simões Farinelli e Ivamil Rodrigues de Almeida, que seriam comparsas do casal num esquema de lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.
    As prisões foram cumpridas durante operação Pecúnia, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), na residência do casal Olarte, na empresa de Andreia, na casa e empresa de Ivamil e na casa e empresa de Evandro. 
    Na ocasião, o Gaeco informou em nota que entre os anos de 2014 e 2015, enquanto Olarte ocupava mandato de prefeito, a mulher dele comprou vários imóveis na Capital, “alguns em nome de terceiros, com pagamentos iniciais em elevadas quantias, fazendo o pagamento ora em dinheiro vivo, ora utilizando-se de transferências bancárias e depósitos, os quais, a princípio, são incompatíveis com a renda do casal”.
    Os investigadores do caso informaram e Olarte e Andréia contavam com a ajuda de Ivamil Rodrigues, corretor de Imóveis e Evandro Farinelli, que emprestava o nome para registrar os imóveis compradas pela mulher do então prefeito.

    Protesto e confusão marcam visita e Bernal volta a prometer casas no Bom Retiro


    Prefeito culpa a "natureza" e volta a prometer casas 
    • Bernal prometeu que equipes da Seintrha vão iniciar trabalhos na segunda-feira (Fotos: Luiz Alberto)
    • Após o temporal que começou no final da tarde de sábado (20), um rastro de destruição atingiu os barracos de parte da comunidade que vivia na favela Cidade de Deus, realocada na Vila Nasser, no loteamento Bom Retiro. Aguardando a promessa das casas, os moradores perderam roupas, materiais e viram os barracos serem destruídos pela chuva. O prefeito Alcides Bernal (PP) visitou o local neste domingo (21) e afirmou que ‘chuva e vento são coisas da natureza’.
      “A partir de amanhã uma equipe de Emha [Agência municipal de habitação] e da Seintrha [Secretaria municipal de infraestrutura, transporte e habitação] vão vir fazer o contrapiso das casas pra começar a construção”, prometeu Bernal.

      “Essa chuva, com vento, é coisa da natureza”, declarou o chefe do executivo, que visitou alguns dos barracos. O clima entre os moradores é de cansaço. Eles cobraram o prefeito pela demora na entrega das casas, que tentava acalmar os ânimos durante a visita.
      Durante a chuva, telhados de amianto, que cobriam o teto de alguns barracos, foram ao chão, assim como as lonas. Materiais eletrodomésticos e roupas também fizeram parte do estrago sofrido pela comunidade, que tem 153 famílias.
      Na noite de ontem, sábado (20), Bernal determinou que alguns de seu secretários vistoriassem pessoalmente os estragos causados pela chuva, e colocou equipes da Defesa Civil, Guarda Municipal, Secretaria de Assistência Social e Agetran nas ruas para fazer o atendimento às pessoas que sofreram danos. Segundo sua assessoria, o prefeito também deixou de prontidão as equipes de urgência e emergências das unidades de saúde.
      CLIQUE AQUI para assistir ao vídeo:



      Protesto

      Cerca de 80 pessoas fizeram uma manifestação no Bom Retiro na quinta-feira (18). A manifestação teve faixas indignadas com o prefeito Alcides Bernal (PP), chamando o chefe do executivo municipal de '171', além da queimada de alguns materiais.
      Idealizado no sistema “mutirão”, em que os próprios moradores – em tese - constroem as casas, o projeto foi abandonado pela ONG responsável. É o que denunciam os moradores, afirmando que a Morhar organização social, que retirou do cofre municipal R$ 3,6 milhões para execução de 300 casas, não começou a construção no local.



      Vaccine Care chega a Campo Grande com vacinas contra a dengue e H1N1


      A clínica oferece todos os tipos de vacinas disponíveis no mercado (Foto: Josiane Paganini)A clínica oferece todos os tipos de vacinas disponíveis no mercado (Foto: Josiane Paganini)
      A Rede de Franquias de Clínicas de Vacinas Vaccine Care chegou a Campo Grande no dia 13 de agosto como uma opção para proporcionar e contribuir para que o maior número de pessoas possa se imunizar e ter uma melhora na sua qualidade de vida.
      “A vacinação é a forma mais eficaz de prevenir doenças”, explica a Dra. Déborah Elmôr Faraco Coelho, CRM 3097-MS, RQE 1056, responsável técnica pela Vaccine Care em Campo Grande. As vacinas são recursos indispensáveis para a saúde individual e pública. Através da imunização é possível prevenir infecções e impedir que várias doenças se espalhem.
      (Foto: Josiane Paganini)(Foto: Josiane Paganini)
      Como é o caso do H1N1 e da Dengue, que se tornaram endémicas, principalmente em Mato Grosso do Sul. Em 2016 foram registrados 57 mil casos de suspeita de Dengue. O número de casos da gripe H1N1 também assustam. No Estado foram registrados mais de 60 casos.
      “Campo Grande tem um longo histórico de epidemias de dengue, e além dos cuidados com as nossas casas, a prevenção é o melhor caminho. E neste ano também enfrentamos muitos casos de H1N1, por isso a vacinação é tão importante. O compromisso da Vaccine Care é levar um atendimento de qualidade e preço justo à toda a população de Campo Grande”, explica.
      Na rede pública a vacina da dengue não tem data para ser disponibilizada. A solução é investir na rede particular. “A vacinação, aliada as campanhas de prevenção e conscientização da população é o melhor caminho para acabarmos com a dengue”, conta a dra. Déborah.
      As vacinas são armazenadas em uma rede fria controlada 24h por dia e a sala de vacinação adequadamente preparada (Foto: Josiane Paganini)As vacinas são armazenadas em uma rede fria controlada 24h por dia e a sala de vacinação adequadamente preparada (Foto: Josiane Paganini)
      Já a vacina contra a gripe H1N1 é aplicada apenas em pacientes de risco. Contra a gripe H1N1 a Vaccine Care disponibiliza a opção quadrivalente, que imuniza contra os vírus A/California/7/2009 (H1N1), A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2), B/Brisbane/60/2008 e B/Phuket/3073/2013, aumentando assim, a efetividade da imunização.
      A clínica também oferece todos os tipos de vacinas disponíveis no mercado, para todas as idades, além de testes de alergia com laudo completo e cruzamento, furo de orelha, teste do pezinho e teste de surdez genética.
      As vacinas são armazenadas em uma rede fria controlada 24h por dia e a sala de vacinação adequadamente preparada, garantindo assim, a eficácia da aplicação. Todos os profissionais são especializados e treinados para oferecer o melhor atendimento. Itens de segurança, técnicas de amenização da dor e kit de primeiros socorros também estão sempre disponíveis.
      Serviço
      Vaccine Care Campo Grande
      Rua Paraíba, 37 – Jardim dos Estados
      (67) 3042.2803 ou (67) 3043.2803
      www.vaccinecare.com.br
      e-mail: campogrande@vaccinecare.com.br
      Facebook: /vaccinecarecampogrande
      Instagram: @vaccinecarecampogrande
      Não só vendemos vacinas, imunizamos pessoas.

      De uma eleição a outra, vereadores têm evolução patrimonial acima de 200%

      Na comparação dos dados oficiais entre 2012 e 2016, vereadores de Campo Grande conseguiram aumentar, e muito, o patrimônio pessoal. Alguns chegaram a ter forte evolução, de mais de 200%, mesmo no atual momento de crise econômica nacional. E o enriquecimento não escolhe partido, é praticamente geral na Câmara Municipal.
      Um exemplo: Edson Shimabukuro, do PTB. Em 2012, o atual candidato havia declarado patrimônio no valor de R$ 825,451,02 mil. Em 2016, o valor disparou para R$ 1.878.808,88 milhão. Os valores estão em fundo de investimentos, aquisição de imóveis e veículos, além da aplicação na poupança. 
      Outro, o vereador Edil Albuquerque, do PTB, também apresentou ganhos consideráveis. Em 2012, Edil havia declarado patrimônio no valor de R$ 1,4 milhão. Neste ano, o valor foi de R$ 2,05 milhões. Entre os bens registrados está um apartamento adquirido no Solar das Flores, Jardim dos Jatobás, cujo o valor declarado de aquisição é de R$ 175,7 mil. Porém, o valor de mercado atualmente gira em torno de R$ 750 mil. 
      Outra que apresentou evolução patrimonial, foi a vereadora Carla Stephanini, do PMDB. Em 2012, Carla declarou um patrimônio no valor de R$ 378,4 mil e que saltou para R$ 830,9 mil, em 2016. No entanto, um detalhe chama atenção na declaração de bens. Dois imóveis declarados, ambos localizados em um dos endereços mais sofisticados em Campo Grande. 
      Os imóveis ficam na Rua Euclides da Cunha e foram declarados respectivamente, no valor de R$ 45 mil e R$ 70 mil. Um seria um estabelecimento comercial e outro, uma residência. Em busca rápida por meio de corretoras, um imóvel para compra e venda no Bairro Jardim dos Estados, custa em torno de R$ 520 mil a R$ 3,2 milhões. Para alugar, no mesmo bairro, o aluguel varia entre R$ 2 mil a R$ 10 mil. 
      De casa financiada pela Caixa Econômica, em 2012, na Vila Carlota, o milionário em 2016. O médico Lívio Viana, do PSDB, apresentou elevação patrimonial considerável em quatro anos. O vereador assumiu a cadeira de Delei Pinheiro, do PSD, que foi cassado em dezembro de 2015. 
      Em 2012, quando permaneceu como suplente de Delei, o atual presidente municipal do PSDB, havia declarado patrimônio no valor de R$ 620,7 mil, entre os bens, estava uma casa financiada pela Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 66,7 mil naquele ano e que neste foi declarada em R$ 221,1 mil. Atualmente, o patrimônio declarado pelo parlamentar foi R$ 1,1 milhão em 2016, incluindo aquisição de imóveis em João Pessoa e Pitambu, no Estado da Paraíba. Logo que assumiu a vaga, Lívio afirmou que abriria mão de seu salário como vereador e que doaria a entidades filantrópicas. 
      A reportagem entrou em contato com a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul, que recentemente criou uma comissão para acompanhar o processo eleitoral de 2016. Conforme o presidente da instituição, Mansour Elias Karmouche, explicou que apesar de um parlamentar declarar o valor do imóveis abaixo do preço de mercado, não estaria cometendo nenhum tipo de infração. 
      "Na realidade, a Receita Federal não permite que a pessoa mude o valor de aquisição de imóveis. Às vezes, a pessoa comprou um imóvel no valor de R$ 15 mil a muitos anos, com isso, não é possível mudar o valor para quanto o imóvel custaria hoje. Mas é isso que nós estamos questionando, mas por hora, não há nada de ilegal ou ato de sonegação", explicou. 
      Evolução mais simples
      Por outro lado, há outros vereadores que apresentaram evolução mais singela, por exemplo, o vereador Coringa, do PSD; em 2012 havia declarado patrimônio no valor R$ 82 mil, e em 2016, saltou para R$ 189,1 mil. Chiquinho Telles, do mesmo partido, havia declaro patrimônio no valor de R$ 37 mil e com a evolução foi para R$ 146,5 mil. 
      O vice-presidente Flávio César, do PSDB, havia declaro em 2012, R$ 325 mil, e em 2016, ficou em R$ 385 mil. A vereadora Luiza Ribeiro, do PPS, o valor apresentado em 2012, foi de R$ 98 mil. Em 2016, o valor passou para R$ 245 mil. Otávio Trad, do PTB, de R$ 193,6 mil, em 2012, passou para R$ 293,6 mil em 2016. 
      José Chadid, do PSDB, saiu de R$ 34,4 mil em 2012, para R$ 375,8 mil em 2016. Um detalhe é que só em jóias, obras de artes e objetos de antiguidade, o parlamentar declarou R$ 78,2 mil. 
      Redução patrimonial
      Por outro lado, a quem apresentou queda na evolução patrimonial, como por exemplo, o presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha, do PSDB, o mesmo apresentou em 2012, patrimônio de R$ 394,7 e a redução foi de R$ 234,5 mil, em 2016. 
      Outra foi a vereadora Magalli Picarelli, do PSDB. Em 2012, a parlamentar havia declarado patrimônio de R$ 1,5 milhão e em 2016, o valor apresentado foi de R$ 540 mil. O vereador Francisco Luis Saci, do PTB, também havia declaro em 2012, patrimônio no valor de R$ 47 mil, sendo uma casa financiada e neste, declarou ausência de bens. Por fim, tanto em 2012 quanto em 2016, o vereador Roberto Durães, do PSC, declarou ausência de patrimônio.
      Dos atuais 29 vereadores, 25 disputam a reeleição neste ano. 

      sexta-feira, 19 de agosto de 2016

      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      O cloreto de magnésio, antes, era consumido apenas por pessoas que tinham algum tipo de patologia, principalmente pelos portadores de hipertensão arterial. Hoje, devido aos seus vários benefícios, as pessoas saudáveis também passaram a consumir substância.

      Função do cloreto de magnésio

      Quando entra no nosso organismo, ele é dividido em 2 minerais importantes para a saúde: o magnésio e o cloro. O cloreto, que quando no corpo se transforma no íon cloro é essencial para a nossa sobrevivência. É ele que mantém o sangue dentro dos vasos sanguíneos, age diretamente no processo de contração muscular e participa do sistema nervoso, ajudando a transmitir os impulsos de uma célula para outra, passando informações.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios
      Outra função importante do íon cloro é como participante principal da composição do ácido clorídrico. Esse ácido é liberado dentro do nosso estômago quando o cérebro nos indica que está na hora de comer e sentimos fome. Sem ele, os alimentos não ficam bem digeridos e assim, os seus nutrientes não conseguem ser absorvidos quando chegam ao intestino.
      O magnésio também participa da passagem de informação através dos impulsos nervosos, da contração muscular e da regulação dos batimentos cardíacos. Além disso, o magnésio também atua na absorção de potássio (basta lembrar da bomba de sódio e potássio que vamos perceber a importância desse mineral) e também atua como agente detox.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      Os benefícios do Cloreto de Magnésio

      Controla a pressão arterial

      A hipertensão arterial é provocada pela dificuldade que o sangue encontra de passar através dos vasos sanguíneos. De alguma forma, a parede deles acaba exercendo algum tipo de resistência, o que eleva a pressão arterial. O cloreto de magnésio ajuda a dilatar o diâmetro dos vasos fazendo com que haja mais espaço para a passagem do sangue.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      Pele mais saudável e menos lesões articulares

      O cloreto de magnésio ajuda na produção de colágeno, uma proteína importante para manter a elasticidade da pele. Assim, as rugas e linhas de expressão demoram a aparecer. O colágeno também ajuda a dar maior resistência a outras partes moles do corpo como os tendões, ligamentos e cartilagens. Desta maneira, os riscos de lesão na articulação diminui.
      Descubra como evitar as principais lesões que podem acontecer durante a corrida.

      Ajuda o cérebro

      O magnésio consegue interferir de forma significativa em duas funções muito importantes do nosso cérebro: memória e aprendizagem. Além disso, o magnésio consegue fazer com que ocorram mais sinapses, ou seja, mais ligações entre células nervosas, aumentando a passagem de informações e também a retenção destas.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      Para diabéticos

      Quem tem diabetes costuma perder muitos nutrientes através da urina, dentre eles o magnésio. Desta maneira, se faz necessária a reposição desse mineral para manter as funções do corpo funcionando perfeitamente. Uma pesquisa da Universidade de Havard constatou que quem tinha uma dieta rica em magnésio apresentava menos chance de desenvolver o diabetes tipo 2.
      Veja como a Dieta Mediterrânea pode ajudar na prevenção do diabetes.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      O cloreto de magnésio ajuda no emagrecimento?

      Não se sabe ao certo se a ingestão de magnésio reduz o peso, mas sabe-se que quando há pouco desse mineral no nosso corpo, ganhamos peso mais rapidamente. Parte disso deve-se ao fato de que o magnésio melhora a absorção de nutrientes, o que faz todo o corpo funcionar melhor, inclusive o metabolismo. E como esse mineral também oferece maior disposição, fica mais fácil praticar exercícios.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios
      Descubra de que maneira a genética pode influenciar no seu emagrecimento.
      Uma outra maneira pela qual podemos relacionar a perda de peso ao consumo de magnésio é fato dele controlar os níveis de açúcar na corrente sanguínea. Quando ingerir carboidratos, os níveis de açúcar aumentam e a insulina é liberada em grande quantidade para estocar o excesso de açúcar na forma de gordura. Com a ingestão de magnésio, não ocorre esse estoque de maneira significativa.

      Deficiência de magnésio

      Quando nos falta algum nutriente importante na dieta, o corpo logo dá sinais de que algo não vai bem. Neste caso, se a quantidade de magnésio na dieta não está sendo suficiente, o ideal é começar com a suplementação. Os sinais de deficiência de magnésio podem ser:
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      Como consumir o Cloreto de Magnésio

      Nunca, em nenhuma hipótese, faça qualquer suplementação se o direcionamento de um profissional. Mesmo sendo um mineral que traz  muitos benefícios, em quantidades elevadas, também pode trazer prejuízos. Para saber se os seus níveis de magnésio estão adequados você pode consultar um nutrólogo. Um grupo que pode se beneficiar com esse suplemento são os idosos, cujas taxas de minerais começam a cair com o avançar da idade.
      Homens com idade entre 18 e 30 anos devem consumir cerca de 400 mg por dia. Já as mulheres nessa mesma faixa etária devem consumir 310 mg ao dia. Para idades acima de 30 anos, as mulheres devem consumir 320 mg e os homens, 420 mg. A quantidade recomendada por dia, em média, é de 350 mg.
      Cloreto de Magnésio: veja os benefícios

      Contraindicações do Cloreto de Magnésio

      Pessoas que apresentam alguma patologia renal, cardíaca, que faz uso de diuréticos ou antibióticos não devem consumir o cloreto de magnésio sem orientação médica. Mesmo a quantidade ideal diária pode ser prejudicial. O excesso de magnésio é o que pode provocar sérios problemas de desidratação por conta do seu efeito laxante.

      Alimentos que possuem cloreto de magnésio

      Para manter os níveis de magnésio e cloro adequados a ingestão de certos alimentos devem estar presentes na dieta. Feijão, espinafre, pepino, aspargo, nabo, nozes, peixes como salmão e sementes em geral como a de abóbora, de girassollinhaça, mostarda e gergelim também devem entrar no cardápio.

      Artigos Relacionados