VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Marquinhos define nomes para 28 cargos, mas ainda aguarda confirmações

Prefeito eleito disse que em uma semana divulga nomes

O prefeito eleito de Campo Grande, Marquinhos Trad, do PSD, disse já ter escolhido nomes dos 28 integrantes dos primeiro e segundo escalões de seu governo, que assume em janeiro. No entanto, ele anunciou que deve levar uma semana, a partir desta quarta-feira (7), para divulgar os selecionados. A razão: nem todos os definidos, como secretários, aceitaram oficialmente a proposta do prefeito.
Vinícius Campos, presidente municipal do PT do B, por exemplo, foi convidado para exercer a chefia da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande), por exemplo.
Embora dado como quase certa a sua nomeação, Campos ainda não disse sim. O presidente estadual do PT do B, que confirmou o aceno de Marquinhos, afirmou que o partido fazer pronunciamento acerca do acaso somente na segunda-feira.
Na manhã desta quarta-feira, Marquinhos citou o nome de Marcelo Vivela, urologista como o provável secretário municipal da Saúde. Contudo, segundo o prefeito eleito, o médico ainda não definiu se aceita, ou não, o convite. “Por isso que vou definir todos os nomes na próxima quarta-feira”, afirmou o eleito.
Marquinhos confirmou ainda o nome de Alex Gonçalves como seu chefe de gabinete. Neste caso, a escolha já está deliberada. Gonçalves chefia o gabinete do eleito desde que ele era vereador em Campo Grande.
Outra incerteza na composição do governo de Marquinhos tem a ver com a indicação da advogada Adriane Lopes, do PEN, para comandar a SAS (Secretaria de Assistência Social). Adriane é a vice de Marquinhos. Ela deve anunciar se concorda em chefiar a secretaria até o fim de semana.
O economista Pedro Pedrossian Neto, um dos netos do ex-governador Pedro Pedrossian, foi designado para ocupar a chefia da Semre (Secretaria Municipal da Receita). “Pode até ser, mas não há nada confirmado”, mas Marquinhos. Ao que tudo indica o economista já aceitou a proposta.
Antônio Lacerda, advogado e presidente do PSD, partido de Marquinhos, deve assumir a secretaria municipal de Governo e Relações Institucionais, uma das mais importantes da prefeitura.
Fontes ligadas ao prefeito eleito afirmaram ainda que o escolhido para conduzir a Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência e Tecnologia e Agronegócio), Luiz Fernando Buainain.
Ligado ao DEM, o indicado, que ainda não informou se aceita comandar a Sedesc, é um dos donos da rede farmacêutica São Bento, empresa em processo de recuperação judicial desde o ano passado.
DEFINIDOS
Ainda de acordo com o prefeito eleito, Gildo Andrade já está certo como superintendente de comunicações da prefeitura e também já está confirmado o ex-deputado estadual Lauro Davi, do Pros, como diretor-presidente do Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande, o IMPCG.
A chefia da procuradoria jurídica do município também é tida como certa de que seu comandante será o advogado Alexandre Ávalo. Hoje, Ávalo atua como um dos destacados nomes do período de transição do governo municipal.
Para comandar a secretaria de Educação, Marquinhos Trad e seus parceiros de coligação já teriam definido pelo nome de Alelis Izabel de Oliveira Gomes, que já disputou eleição para vereadora, em 2004.
AINDA NÃO
Marquinhos Trad tem se recusado a comentar algumas escolhas, como a de nomes que vão comendar a Semad (Secretaria Municipal de Administração) e Seplanfic (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação).
Para chefiar a Seplanfic surgiram nomes de empreiteiros, mas Marquinhos negou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário