VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Bernal mostra foto de celular e diz temer novo afastamento 'para Rocha assumir'

Bernal nega "mania de perseguição"

  • Foto: Marithê Lopes/Jornal Midiamax
  • Questionado sobre a troca da presidência da Câmara ser a possibilidade de um "segundo golpe", como já disse antes, o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) classifica uma foto que mostrou relutante à imprensa nesta segunda-feira (30) em agenda oficial, como "prova".
     Na imagem, aparece a mão de uma mulher segurando um celular, com a seguinte frase: “Concluída a eleição? Bernal roda e João assume?”. Como resposta à pergunta, Bernal pediu a foto ao seu chefe de gabinete, Odimar Marcon. "Me dá aí a foto, Marcon", repetia. 
    O assessor retirou a imagem, no meu de outras, de um envelope e a entregou. "Estão vendo?", disse Bernal. O prefeito ainda comentou que um ex-assessor de Gilmar Olarte tem falado nas redes sociais que o tucano João Rocha teria assumido a Câmara para ser prefeito.
    Segundo ele, Alcides seria retirado do cargo nesta terça-feira (1º), por decisão judicial. Sem vice, o presidente da Câmara assumiria o cargo. “O assessor tem informações, vínculos com Olarte. O que eu questiono é se o Mario Cesar, que foi afastado por ser investigado, não poderia ser presidente, por que o João Rocha, que também é investigado, pode?”. O líder do executivo municipal negou ter "mania de perseguição" ao denunciar a imagem.
    Bernal também afirmou que não tratará o assunto com Rocha na tarde desta segunda, em reunião. “O encontro foi marcado para tratar de assuntos institucionais, de prefeito para presidente da Câmara. Não vou falar sobre isso”.
    O líder do executivo municipal afirmou que vai levar a foto e os boatos de que uma possível nova trama para tirá-lo do cargo de prefeito ainda nesta segunda ao conhecimento do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e da Polícia Federal. 

    Delegacias de Mato Grosso do Sul deixam de custodiar presos, e acontece nova reunião terça-feira


    Superlotação na cela da delegacia de Chapadão do Sul em Janeiro deste ano/Foto ArquivoSuperlotação na cela da delegacia de Chapadão do Sul em Janeiro deste ano/Foto Arquivo

      Na sexta-feira (27) policiais civis de Mato Grosso do Sul, decidiram em assembleia extraordinária entregar as chaves das delegacias para o Estado, essa atitude foi motivada pela falta de segurança dos policiais de plantão e acúmulo de funções.
      As delegacias de Chapadão do Sul e Sonora foram as primeiras a trancarem as celas prisionais, e guardarem as chaves, segundo o delegado de Polícia Civil de Chapadão do Sul, Danilo Mansur, ele foi o primeiro a deixar de custodiar presos, essa decisão foi tomada após a morte do policial Anderson Garcia da Costa de 37 anos que foi na DP de Pedro Gomes na quarta-feira (25).
      As reivindicações dos policiais são para que as custódias de presos deixem de ser responsabilidade das delegacias civis, já que a função do PC é investigar e atender a população e não cuidar de detentos que por muitas vezes já estão condenados e permanecem nas delegacias.
      Assim como o presidente da Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul) Giancarlo Miranda, Mansur também afirmou que policiais civis não podem custodiar presos já que não são treinados para isso, “eles não tem treinamento, o papel do policial civil é investigação, se eles ficam nas delegacias cuidando de presos a população perde por não ter a resolução de crimes”, afirma Mansur.
      Em nota a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) de Mato Grosso do Sul, disse que o Estado tomara providencias como o aumento de efetivo e pagamento de diárias para os Policiais Civis que custodiarem presos, e mais rapidez nos julgamento dos presos “reforço de plantões nas Delegacias onde há custódia de presos, mediante o pagamento de diárias para o efetivo policial da região, aumentando assim o número de investigadores nos plantões; discutir com o Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil, Procuradoria Geral do Estado e Poder Judiciário, para agilizar julgamentos dos presos provisórios para que permaneçam o menor tempo possível nas unidades policiais”, um trecho da nota da assessoria de imprensa da Sejusp.
      Segundo a Sinpol, na tarde desta terça-feira (1) vai acontecer uma reunião com a Copev (Coordenadoria da Vara de Execuções Penais), do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), com a intenção de elaborar um planejamento estratégico com o fim de promover a migração da responsabilidade da custódia dos presos provisórios recolhidos em Delegacias da Polícia Civil para a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário.
      Entrega das chaves
      Sem ter quem cuide dos presos, as delegacias que aderiram à manifestação, estão com presos sem custódia, ou seja, policiais civis não estão cuidando dos presos.
      A alimentação dos detentos de Chapadão do Sul está sendo feitas por Assistentes Sociais, que vão no horário das refeições e entregam todas as marmitas para um preso que distribui para os demais. Banho de sol e visitas estão suspensas.
      Segundo o delegado Mansur, o risco de presos se rebelarem existe, pois as celas não tem segurança adequada e os muros em volta da delegacia são baixos, o que possibilitaria a fuga de presos.
      No momento existem somente cinco presos na delegacia de Chapadão do Sul, porém no mês de agosto o número era de 58 presos sob custódia de um policial civil de plantão.

      Com mensagem de WhatsApp em mãos, Bernal acusa vereadores de golpe e diz vai ao MPE


      Foto: Wanderson Lara

        Parece que trégua entre prefeito Alcides Bernal (PP) e Legislativo Municipal durou pouco, horas apenas. Depois de dizer que buscaria reunião com presidente da Câmara, João Rocha, para alinhar discurso entre Legislativo e Prefeitura, Bernal disse, durante mesma agenda pública, na manhã desta segunda-feira (30) que vai ao MPE (Ministério Público Estadual) denunciar golpe político que estariam tramando contra ele.
        O prefeito, ao sair da agenda, mostrou uma foto impressa, que traz imagem de celular onde na tela do aparelho é possível ver mensagem de WhatsApp em que uma pessoa pergunta: "Concluída eleição? Bernal roda e Rocha assume?".
        Antes da pergunta, há outra mensagem que diz: "(...) No tempo certo, tenha fé. Bom dia Picarelli e Magali". Porém, o prefeito não quis confirmar se mensagem é de fato da vereadora do PMDB, Magali Picareli, esposa do deputado estadual, também peemedebista, Maurício Picareli.
        O prefeito não quis dar detalhes à imprensa, apenas reforçou sua tese de que eleição de João Rocha (PSDB) para novo presidente da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Capital seria parte de um novo golpe político contra ele com intuito de destitui-lo do cargo de prefeito.
        Bernal anunciou que tem reunião agendada para tarde desta segunda-feira (30) com João Rocha, mas antecipou que vai tratar apenas de assuntos institucionais. O prefeito, que está no cargo por força de liminar, de fato, corre risco de deixar Prefeitura caso o recurso da Câmara de Vereadores seja colocado em pauta de julgamento da 1ª Câmara Civel. O recurso está mãos da desembargadora Tânia Freitas de Souza.

        Bernal sinaliza trégua e diz que deve se reunir com Rocha para alinhar poderes

        Prefeito Alcides Bernal (PP)/Foto: Wanderson LaraPrefeito Alcides Bernal (PP)/Foto: Wanderson Lara
        Heloísa Lazarini e Taciane Peres

        Depois de dizer publicamente que eleição do novo presidente da Câmara de Vereadores de Campo Grande configura novo golpe político contra si, o prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP), amenizou tom do discurso contra vereadores e admitiu nesta segunda-feira (30) que vai tentar diálogo harmônico entre Executivo e Legislativo.

        "Vou encontrar com Rocha o mais rápido possível, a Câmara precisa estar alinhada com Prefeitura e me coloco à disposição para isso". A declaração foi concedida durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (30).
        Ao contrário do que vinha dizendo na semana passada, Bernal parece disposto a manter diálogo com Legislativo após escolha do novo presidente da Mesa Diretora da Câmara, vereadores João Rocha (PSDB). Com apenas quatro vereadores na base aliada e sem líder, o prefeito anda pisando em ovos com vereadores e tem tarefa difícil pela frente que é destravar pauta do Legislativo e conseguir colocar em votação projetos de interesse da administração municipal.
        Há cerca de duas semanas, o então presidente da Câmara, vereador Flávio César (PTdoB) havia anunciado que Legislativo apenas votaria projetos do Executivo após prefeito anunciar pagamento dos servidores comissionados da gestão de Gilmar Olarte que foram exonerados por Bernal após retorno dele à Prefeitura em 27 de agosto deste ano. 
        Bernal ainda enfrente uma série de críticas do Legislativo como aumento do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) reajustado em 9,3%, fechamento do Centro Municipal Pediátrico, reajusta da tarifa de ônibus. 

        Fantástico denuncia esquema de exploração sexual com políticos e empresários da Capital



        Mato Grosso do Sul continua nas manchetes das principais mídias de comunicação do país com denúncias de corrupção de políticos do Estado e agora é alvo de investigação de um esquema de exploração sexual de políticos e empresários de Campo Grande. 
        Há 10 meses, Polícia e Ministério Público investigam duas redes de prostituição infantil que agem na Capital e no Estado, onde políticos e empresários são suspeitos de se envolver com adolescentes e até crianças de 9, 10 anos, onde eram aliciadas por redes de prostituição e programas sexuais. 
        Com o caso, foi veiculada uma reportagem no último domingo (29) onde uma equipe de jornalistas do programa Fantástico exibiu a ação de integrantes de uma rede de prostituição envolvendo políticos de Mato Grosso do Sul.
        O programa apresentou vídeo, no qual políticos do Estado foram flagrados dentro de motéis com meninas de 15 anos. De acordo com reportagem, clientes que pagavam pelo programa tinham preferência por meninas novas.  Além de políticos, há suspeitas de que empresários do ramo alimentício do Estado também estejam envolvidos no caso.
        Entenda o Caso
        Em abril de 2015, o ex-vereador Alceu Bueno (sem partido) e o ex-deputado estadual Sérgio Assis (PSB) foram indiciados por suspeita de manter relação carnal com menor na forma de exploração, conforme especificado pelo artigo 218-b, parágrafo segundo do código penal.Caso envolvendo Alceu Bueno resultou na prisão de três pessoas: Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e o ex-vereador Robson Martins. De acordo com investigações, os três teriam arquitetado um esquema para extorquir dinheiro de políticos e pessoas consideradas figuras públicas no Estado.

        Governo paga salário de novembro amanhã e 13° na próxima terça-feira

        Priscilla Peres e Leonardo Rocha

        Governador Reinaldo Azambuja divulgou hoje as datas dos pagamentos, em reunião coletiva. (Foto: Fernando Antunes)Governador Reinaldo Azambuja divulgou hoje as datas dos pagamentos, em reunião coletiva. (Foto: Fernando Antunes)
        O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou hoje o pagamento do 13° salário dos servidores estaduais para o próximo dia 8. A previsão era que o montante de R$ 317 milhões fosse depositado no dia 10, mas com esforços financeiros a data foi antecipada em dois dias.

        Como o Campo Grande News informou com exclusividade no dia 24 de novembro, o salário dos servidores referente ao mês de novembro será pago amanhã (1º). Hoje, o governador informou que a folha desse mês soma R$ 381 milhões.
        Já o salário referente ao mês de dezembro será pago no primeiro dia útil de janeiro de 2016, ou seja, na segunda-feira (4). Neste dia, o governo vai depositar mais R$ 405 milhões ao cerca de 70 mil servidores públicos.
        No dia 10 de novembro, os 24.866 servidores inativos receberam a primeira parte do décimo-terceiro salário que somou R$ 98 milhões. A segunda parcela do abono dos aposentados e pensionistas do Estado será paga também no dia 8.
        Comércio - Foi com entusiasmo que o comércio recebeu a notícia de que o décimo-terceiro salário seria pago em dia pelo governo do Estado. No dia 25 de novembro, o Campo Grande News mostrou que os empresários poderão ter um ganho inesperado, com o valor a ser injetado na economia, por meio dos servidores,
        “O comércio vem acompanhando o comportamento das vendas e já montou uma estratégia em relação ao fim de ano. Creio que o setor já se preparou para um Natal regular e como se preparou para isso, qualquer notícia de liquidez anima, é positivo, é tudo que o comercio precisa”, comenta o economista Sérgio Bastos.

        PARA DESESPERO DO SERVIDOR MUNICIPAL: Bernal diz que 13º será pago em dezembro e janeiro

        Prefeito diz não ter condição de pagar tudo neste mês

        O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), ainda não tem dinheiro para pagar o 13º dos servidores da Capital. O prefeito vai hoje á Câmara para apresentar um projeto de pagamento incentivado do IPTU, de onde espera tirar o dinheiro para pagar os servidores.
        Indagado se com o dinheiro será possível fazer o pagamento integral, o prefeito disse que não, devido a situação que pegou a prefeitura. “Vamos pagar pelo menos uma parcela. Integral não vamos ter condição. Eu peguei a prefeitura arrebentada”, reclamou.
        Sem condições de pagar o valor integral, Bernal espera pagar o 13º em dezembro e janeiro. “Vamos enviar o projeto para a Câmara, que deve aprovar. Come ele teremos condição de pagar o 13º dos servidores e começar a pagar todos os fornecedores”, explicou.
        Demissões
        Bernal explicou que ainda está fazendo estudo sobre outra dívida herdada da administração anterior: acerto com comissionados. O prefeito justifica que está fazendo um investigação para ver se os servidores realmente trabalhavam ou se tratava de um fantasma.
         “Tinha gente ganhando  R$ 8 mil e ninguém nem sabe onde trabalhava. Tinha gente lotada na Seintrha e que ninguém nunca viu. Vamos tomar a decisão sobre pagamento só depois que descobrir se trabalhavam ou eram fantasma”, concluiu.


        Embriões de "ouro", festas e outras histórias das fazendas de Bumlai


        Liana Feitosa

        (Foto: Fazenda Rancho Alegre, de Bumlai, fica próxima ao aeroporto internacional de Campo Grande. (Foto: Werther Santana/ Estadão)(Foto: Fazenda Rancho Alegre, de Bumlai, fica próxima ao aeroporto internacional de Campo Grande. (Foto: Werther Santana/ Estadão)
        Reportagem publicada pelo jornal Estadão neste domingo (29) dá detalhes sobre propriedades rurais do empresário sul-mato-grossense José Carlos Bumlai, assim como a relação dele com o ex-presidente Lula.

        Um dos alvos foi a Rancho Alegre, uma das 12 propriedades rurais de Bumlai, que fica em Campo Grande, perto do Aeroporto Internacional da cidade. O pecuarista, preso na semana passada em Brasília na 21ª fase da Operação Lava Jato, é suspeito de intermediar grandes repasses de dinheiro ao PT em troca de privilégios no governo.
        De acordo com a reportagem a fazenda é cenário de festas exclusivas e, além disso, funciona como centro de coleta de embriões e sêmen para fertilização in vitro de bovinos.
        O zootecnista responsável da fazenda, entrevistado pelo jornal, disse que embrião de um bom reprodutor pode valer até R$ 30 mil.
        Conforme o Estadão, as investigações apontam que Bumlai fez empréstimo de R$ 12 milhões com o Grupo Schahin para repassar o dinheiro ao PT e, assim, o partido ter condições de pagar dívidas de campanha. Em troca, o grupo conseguiu fechar contrato de US$ 1,6 bilhão com a Petrobras em 2009.
        O empresário nega a informação e garante que pagou o empréstimo com fornecimento de embriões e sêmen e pode provar os trâmites por nota fiscal.
        No entanto, pecuaristas ouvidos pelo Estadão ironizaram o argumento de Bumlai dizendo que desconhecem "boi de ouro".
        Mas não foi só as transações na Rancho Alegre que levantou suspeitas da Justiça contra o empresário. Ele era dono da Cristo Rei, uma fazenda de 130 mil hectares em Miranda, mas que foi vendida a André Esteves, do Banco BTG Pactual.

        De acordo com o Estadão, foi na fazenda Cristo Rei, que era de Bumlai, que Lula gravou a campanha eleitoral que deu a ele a vitória nas urnas em 2002. (Foto: Reprodução)De acordo com o Estadão, foi na fazenda Cristo Rei, que era de Bumlai, que Lula gravou a campanha eleitoral que deu a ele a vitória nas urnas em 2002. (Foto: Reprodução)
        Esteves foi preso um dia após Bumlai e, segundo as investigações, estaria envolvido no plano de fuga do ex-presidente da Petrobras, Nester Cerveró, sugerido pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso também nesta semana pela Lava Jato.
        Amizade - Ainda de acordo com o Estadão, foi na Cristo Rei que Lula gravou a campanha eleitoral que deu a ele a vitória nas urnas em 2002.
        Bumlai tinha medo de que as terras fossem invadidas mas, nos vídeos, Lula garantiu que defenderia a o setor produtivo. A aproximação do pecuarista e Lula foi apadrinhada pelo então governador do Estado, Zeca do PT.
        Com isso, a amizade entre os dois se tornou estreita e fez de Bumlai "mais influente que Delcídio e Zeca", fato comentado entre produtores rurais e confirmado pelo presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Jonatan Pereira Barbosa, apontado como amigo de Bumlai.
        "Eu estava com o Bumlai, tocava o telefone, quem era? O ex-presidente. Daí nessa hora ele era amigo, pedindo que fizesse favor", diz Jonatan.
        Negociação - O pecuarista viu seus negócios deslancharem durante o governo Lula. Em 2005, ele negociou uma de suas fazendas, a São Gabriel, com o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). A propriedade foi vendida por R$ 20,6 milhões, enquanto ele havia pago R$ 2 milhões na mesma fazenda dois anos antes.
        Para o Ministério Público Federal, o valor justo era de R$ 13,3 milhões e um laudo pericial falso garantiu o pagamento do montante, apesar da Justiça ter tentado suspender o pagamento. Os peritos que elaboraram o laudo estão sendo processados.
        Anos mais tarde, Bumlai decidiu entrar no setor sucroalcooleiro com a usina São Fernando, em Dourados. Segundo o presidente da Acrissul, o investimento foi feito por insistência de Lula.
        Etanol - "Quando o Lula estava saindo do governo, convenceu o Bumlai de que o etanol seria negócio do futuro. Ele entrou, com o piloto Emerson Fittipaldi e uma parte do Grupo Bertin. O álcool começou a dar para trás e, primeiro o Emerson, depois os Bertin, saíram do negócio. Ele teve de comprar a parte dos outros e não se recuperou", conta o pecuarista Jonathan.
        Para salvar a usina, Bumlai vendeu a Cristo Rei, mas o dinheiro não conseguiu impedir que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) entrasse com pedido de falência da usina

        Mato Grosso do Sul cercado pelo Zika

        .

        Na rota - A Zika Vírus já cercou Mato Grosso do Sul e o Estado agora é como uma ilha com ocorrências por todos os lados. São 14 casos no vizinho Mato Grosso, 7 no Paraná e 6 em Pedro Juan Cabelero, na fronteira com o Paraguai.

        O perseguido - A fama do prefeito Alcides Bernal está descambando para os lados de Odorico Paraguaçu, prefeito da cidade fictícia de Sucupira. Depois de dizer que tem gente abrindo buracos de propósito na cidade, tem dito em todas as entrevistas que há outro “golpe” em curso contra ele.
        Turbulência - Até a presidente da Associação Brasileira de Numerologia, Rosana Machado, foi acionada para tentar entender o que ocorreu com o senador Delcídio do Amaral nos últimos anos, depois de tempos de glória na política.
        Guiado pelo 8 - Segundo ela, o maior erro dele foi acrescentar o "do" ao seu nome público, seguindo orientação de uma numeróloga. “Como ele é um político, teria sido melhor manter o nome anterior, que estava ligado à justiça e à honestidade”, disse Rosana ao jornal O Globo.
        À distância - Em parceria com a UFGD, o Poder Judiciário criou projeto de graduação dentro do Presídio de Segurança Máxima de Dourados, será a primeira faculdade para presos da Região Centro-Oeste do Brasil, com curso de Pedagogia.
        E-consumidores - O Brasil já tem 61 milhões de e-consumidores, pessoas que compraram pelo menos uma vez pela internet. Pesquisa do Instituto Marplan indica que, neste quesito, os homens são maioria, responsáveis por 52% das transações. As classes A e B são as que mais recorrem às compras eletrônicas, estão em 72% do comércio online
        Mais sujeira - Nesse mar de lama que virou o Brasil, a Polícia Federal descobriu esquema criminoso envolvendo o programa Minha Casa Minha Vida. Com apoio da Controladoria-Geral da União, já descobriu quatro casos de fraudes milionárias. As denúncias envolvem custo excessivo cobrado por empreiteiras e baixa qualidade das obras. A apuração deve abranger todos os estados.
        Reajuste por aí - Para coibir acidentes nas estradas, o Governo Federal autorizou as concessionárias que exploram as rodovias do País a construírem estacionamentos para caminhoneiros, o que aumenta o pedágio pago por todos os motoristas.
        Dopados - Algumas empresas já enviaram plano de ação que prevê o aumento de até R$ 0,20 no valor do pedágio como forma de bancar os estacionamentos ao longo das rodovias. Em Mato Grosso do Sul, pesquisa mostrou que 33% dos caminhoneiros usam algum tipo de droga para permanecerem acordados até o destino final da carga.
        Para as fãs – O cantor Luan Santana deve voltar, finalmente, no início de 2016 para show acústico em Campo Grande. O anúncio ocorreu na sexta-feira passada, durante show do cantor Nando Reis no Diamond Hall.

        Com o fim do Cempe, Bernal diz que pediatras estarão nos bairros



        Leonardo Rocha

        •  
        •  
        Bernal diz que agora pediatras estarão nos bairros, seguindo a política do SUS (Foto: Fernando Antunes)Bernal diz que agora pediatras estarão nos bairros, seguindo a política do SUS (Foto: Fernando Antunes)
        O prefeito Alcides Bernal (PP) disse hoje (29), durante ação social em Rochedinho, que com o fim do Cempe (Centro Municipal Pediátrico), anunciado na última sexta-feira (27), os pediatras da rede municipal desaúde estarão nos bairros, seguindo assim a política nacional do SUS (Sistema Único de Saúde), de descentralizar os atendimentos.

        Ele ainda fez questão de dizer que o "Hospital da Criança", trouxe um prejuízo de R$ 11 milhões aos cofres do município, além de não ter tido o aval do conselho de saúde e ter denúncias de irregularidades, que estão sendo apuradas pelo MPE (Ministério Público Estadual).
        "Não poderia existir o conselho regional não aprovou, ainda teve prejuízo aos cofres públicos e tem denúncias tramitando no MPE, fatos delituosos que serão apurados, além disto minha equipe de saúdevai seguir os princípios de descentralização, com pediatras nos bairros, para termos em todas as unidades", garantiu.
        Na última sexta-feira (27), o secretário de saúde, Ivandro Correa Fonseca, ressaltou que o prejuízo tinha sido de R$ 9,6 milhões, que inclusive segundo ele, deveria ter sido investido na construção de unidades básicas de saúde, mas foi suplementado pela prefeitura, para custear o Cempe.
        A prefeitura chegou a abrir uma sindicância para apurar eventuais ilegalidades, já que o local não tinha fonte de financiamento, usando recursos do Plano Municipal de Saúde. Ivandro ainda indicou que o atendimento pediátrico seria remanejado às quatro unidades dos bairros Coronel Antonino, Universitário e Vila Almeida.
        Neste levantamento também foi questionado o salário dos funcionários, que o secretário definiu como "exorbitantes" e incompatíveis com os demais trabalhadores da área de saúde. O prédio ficará fechado até a rescisão do contrato com o locatário.
        Veja Também

        domingo, 29 de novembro de 2015

        Adele vende 3,38 milhões de cópias nos EUA na 1ª semana e bate recorde

        Reuters

        Números são melhores do que os da cantora Taylor Swift, com 1989.

        Álbum '25' também já é o mais vendido dos Estados Unidos este ano.

        Da Reuters
        Adele no clipe do single 'Hello' (Foto: Divulgação)Adele no clipe do single 'Hello' (Foto: Divulgação)
        O novo álbum da cantora britânica Adele bateu recorde de vendas, com 3,38 milhões de cópias nos Estados Unidos em sua primeira semana, relatou a Nielsen Music, tornando-se o mais vendido de 2015, em uma época em que artistas raramente ultrapassam um milhão de cópias.
        Em apenas sete dias, "25", o primeiro álbum em quatro anos da cantor ganhadora do Grammy, superou facilmente números alcançados ao longo do ano pela superstar Taylor Swift com "1989", de acordo com números publicados pela Nielsen.
        O álbum de Taylor Swift vendeu cerca de 1,76 milhão de cópias nos EUA, em 2015.
        Os números de "25" significam as melhores vendas semanais para um álbum desde que a Nielsen começou seus levantamentos em 1991.
        A primeira semana do álbum também coloca Adele em um clube de elite composto por artistas como Britney Spears, Whitney Houston, Eminem e Lady Gaga, cujos trabalhos estrearam com mais de 1 milhão de cópias vendidas nos Estados Unidos.
        Adele anunciou na semana passada uma turnê de concertos pela Europa em 2016.

        Ministério Público investigará documento que liga BTG a Cunha

        Documento apreendido indica R$ 45 milhões do BTG para Eduardo Cunha.

        Suposto pagamento seria para incluir emenda em uma Medida Provisória.

        Vladimir NetoDa TV Globo, em Brasília

        Presidente e controlador do banco BTG Pactual, André Esteves, durante entrevista em São Paulo, no ano passado (Foto: REUTERS/Nacho Doce)André Esteves, durante entrevista em São Paulo,
        no ano passado (Foto: REUTERS/Nacho Doce)
        A Procuradoria Geral da República relatou, no seu pedido para conversão da prisão banqueiro André Esteves e do chefe de gabinete do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), Diogo Ferreira, de temporária em preventiva -acolhido neste domingo (29) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki- que foi encontrado um documento, com uma escrita no verso, indicando o suposto pagamento de R$ 45 milhões do BTG para Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados.
        Segundo a PGR, na residência de Diogo Ferreira, foi encontrado este documento, contendo uma escrita, com o seguinte texto: "Em troca de uma emenda à Medida Provisória número 608, o BTG Pactual, proprietário da massa falida do banco Bamerindus, o qual estava interessado em utilizar os créditos fiscais de tal massa, pagou ao deputado federal Eduardo Cunha a quantia de R$ 45 milhões".
        Ainda de acordo com o pedido da Procuradoria Geral da República para que a prisão temporária fosse convertida em preventiva, a anotação informa que teriam participado da operação, pelo BTG, Carlos Fonseca e Milton Lyra. "Esse valor também possuía como destinatário outros parlamentares do PMDB. Depois que tudo deu certo, Milton Lyra fez um jantar pra festejar. No encontro tínhamos as seguintes pessoas: Eduardo Cunha, Milton Lira, Ricardo Fonseca e André Esteves", informou a PGR.
        O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, questiona a isenção do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) para relatar processo de cassação no Conselho de Ética (Foto: Wilson Dias / Agência Brasil)O presidente da Câmara, Eduardo Cunha
        (Foto: Wilson Dias / Agência Brasil)
        As defesas de Diogo Ferreira e do banqueiro André Esteves informaram que não tiveram acesso à decisão do ministro Teori Zavascki e, por isso, não têm como se manifestar. O G1entrou em contato com a defesa do deputado Eduardo Cunha, mas, até a última atualização dessa reportagem, ainda não havia obtido resposta.
        Medida Provisória 608
        A Medida Provisória 608, aprovada em 2013, permite ao Banco Central determinar a extinção de dívidas dos bancos ou sua conversão em ações quando julgar ser preciso preservar o “regular funcionamento do sistema financeiro”, segundo critérios estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
        A ideia do governo é impedir que a deterioração iminente da situação econômica da instituição atinja um ponto de não viabilidade. Isso aumentaria também a capacidade de absorção de perdas e a facilidade de compor o capital complementar exigido pelas regras prudenciais de Basileia III.
         
        Decisão do STF
        Segundo o ministro do STF, Teori Zavascki, que acolheu o pedido da PGR, o material coletado nas buscas e apreensões, e os depoimentos colhidos no decorrer das prisões temporárias, permitiram o preenchimento dos requisitos para a decretação das prisões preventivas.
        "De acordo com o artigo 312 do CPP [Código Processual Penal], esses requisitos são: garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria", informou o STF.
        PGR cita 'ofensa gravíssima'
        O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, inforomou que solicitou ao STF a conversão da prisão temporária do banqueiro André Esteves e do assessor do senador Delcidio Amaral Diogo Ferreira em prisão preventiva neste sábado (27). Para ele, há "ofensa gravíssima à ordem pública diante da conduta dos dois investigados".
        A PGR cita ainda, no pedido de prisão preventiva, que os objetos apreendidos na quarta-feira (25) e depoimentos prestados por investigados demostram "evolução em desfavor de André Esteves".
        "Além disso, a petição de Janot argumenta que Esteves tem claro interesse em que não venham à tona colaborações premiadas que o vinculassem a fatos criminosos apurados na Operação Lava-Jato. No pedido de prisão temporária, feito na semana passada, Esteves foi apontado como o agente financeiro a oferecer apoio material à família de Nestor Cerveró em troca de ver seu nome preservado em eventual acordo de colaboração premiada", informou a PGR.
        Da mesma forma, acrescentou a Procuradoria Geral da República, os objetos apreendidos com Diogo Ferreira demonstram a "densa participação dele no embaraço à investigação do crime de organização criminosa e no auxílio ao senador para explorar seu prestígio perante ministros do STF".
        Prisão de Esteves e Diogo Ferreira
        Esteves e Ferreira foram presos na última quarta (25), assim como Delcídio, suspeitos de tentar interferir no andamento das investigações da Lava Jato. Segundo a PGR, o grupo tentou convencer o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró a não fechar acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e ofereceu à família dele R$ 50 mil mensais.
        Sócio do banco BTG Pactual, Esteves está detido em um presídio na cidade do Rio de Janeiro e Diogo Ferreira, na Superintendência da Polícia Federal em Brasília – mesmo local onde estáDelcídio do Amaral.
        Responsável pela defesa de André Esteves, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, chegou a pedir neste domingo ao Supremo que não prorrogasse a prisão temporária do cliente, que terminaria à meia-noite. Entretanto, não foi atendido pelo STF
        .