ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Sobrinho de Lula é assassinado após discussão em rua do Guarujá

De acordo com a polícia, a vítima é Marcelo Gomes, de 36 anos



Marcelo foi baleado durante discussão em Guarujá (Foto: Arquivo Pessoal)
Um homem foi morto durante uma discussão dentro de um bar em Guarujá, no litoral de São Paulo. De acordo com informações apuradas pelo G1, o crime aconteceu no último domingo (17), mas só foi divulgado pela Polícia Civil na noite desta terça-feira (19), já que os investigadores trabalhavam para solucionar o caso.

Segundo a polícia, o crime aconteceu na esquina da Avenida São João com a Rua Carvalho Pinto, no bairro Pae Cará. A vítima estava próximo de um salão de beleza, acompanhado de amigos em um bar, quando começou a discutir com Marcelo Machione Mendes Faria, conhecido como “Marcelinho”. A polícia ainda investiga o motivo da discussão.

Durante a discussão, “Marcelinho” teria atirado contra a vítima, que foi baleada três vezes. A vítima chegou a ser encaminhada ao Pronto Socorro de Vicente de Carvalho, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Após trabalho de investigação, policiais do 2º Distrito Policial de Guarujá identificaram “Marcelinho” como autor do crime e foram até a casa onde ele morava, mas o suspeito não foi encontrado. A polícia segue investigando o paradeiro do suspeito.

De acordo com  informações da Polícia, Marcelo Rúbio Lima Góes, de 36 anos, é filho de um irmão do ex-presidente Lula por parte de pai. O G1 entrou em contato com o Instituto Lula para um possível pronunciamento do ex-presidente, mas, até às 7h desta quarta-feira (20), não obteve resposta.

Despedida
De acordo com informações apuradas pelo G1, o enterro de Gomes aconteceu na tarde da última segunda-feira (18) no Cemitério Itapema, em Vicente de Carvalho. Por meio das redes sociais, amigos e familiares prestaram homagens ao rapaz. Apesar de ser filho de José Rubens Góes, irmão de Lula, familiares ressaltam que o contato da vítima com o ex-presidente era praticamente nulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário