VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Alunos da Reme devem começar aulas sem kits escolares e pais se revoltam


Situação ocorreu nos últimos dois anos e deve se repetir em 2016

Pais de alunos que estudam em escolas municipais de Campo Grande estão revoltados por, mais uma vez, ter que tirar dinheiro do próprio bolso por causa da demora do poder público. O que tanto aflige esses pais não é novo, e já ocorreu nos últimos dois anos, quando os estudantes da Reme (Rede Municipal de Educação) começaram o ano letivo sem os kits ou mesmo uniformes escolares.

Silvana Santos, 38 anos, é uma das que estão apreensivas com a possível demora dos materiais escolares. Ela explica que tem três sobrinhos que estudam em escolas municipais, e a compra dos materiais deve pesar no orçamento familiar.

"A possibilidade das crianças não ganharem o que têm direito logo no começo do ano é uma péssima atitude da prefeitura. Como são três crianças, pesa no nosso bolso, e nós não estamos pedindo nada, existe um dinheiro do município que é exatamente para isso, é nosso direito e uma necessidade", disse.

A abertura das licitações para a aquisição de kits de materiais escolares e a contratação de empresa para realizar o transporte dos alunos foi publicada no dia 27 de janeiro, mas os trâmites devem demorar cerca de 30 dias, mostrando que é quase certeza que os estudantes mais uma vez comecem o ano letivo sem nenhum material, já que falta apenas duas semanas para o ano letivo começar.

                                       
                                  (Uniformes entregues ano passado. Foto: Arquivo/ Geovanni Gomes)

Camila Maria, 23 anos, é mãe de outra criança que estuda na rede municipal e ressalta que o ano de 2015 foi terrível para os pais. Segundo ela, além da demora para chegar o uniforme, que só foi entregue na metade do ano, faltou merenda e até produtos de limpeza onde o filho dela estuda.

"Acreditava que 2016 seria diferente, mas pelo visto, entra prefeito, sai prefeito e nada fazem. Todos os anos precisamos comprar e gastar um dinheiro que não deveria ser gasto. Vamos começar mais um ano sem saber quando vamos receber os materiais escolares novamente", explicou.

 (Mãe diz que na escola onde o filho estuda, os funcionários já pediram alimentos e até produtos de limpeza. Foto: Geovanni Gomes)

'Estão em processo de compra e não existe data marcada para a entrega', foi o que a assessoria de imprensa do município informou. E os uniformes? Bom, a abertura de licitação para a aquisição de uniformes sequer foi publicada. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) conta este ano com R$ 14 milhões no orçamento, para aquisição dos materiais e da vestimenta. Somente este valor foi publicado no Diário Oficial de Campo Grande, nº 4.446 de 23 de dezembro de 2015.

Vale lembrar que o prazo de entrega dos Kits podem demorar até mais do que esses 30 dias estipulados, sendo que, nesse período de licitação, as empresas interessadas em fornecer os materiais e o transporte apresentam os preços e quem oferecer o menor valor ganha a licitação e tem prazo, regularmente até 30 dias, para entregar o produto ou serviço, mas isso se tudo acontecer de forma normal, já a compra demora cerca de 60 dias e, se existir processo judicial, os kits podem atrasar meses até chegar nas mãos dos alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário