VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 24 de março de 2016

'Que o Brasil resolva a crise política de maneira efetiva' diz Obama

Por: Fabíola Camilo com Agência Brasil24/03/2016 às 09:04
ComentarCompartilhar
Presidente Barak Obama e presidente Maurício MacriPresidente Barak Obama e presidente Maurício MacriFoto: Davi Fernandez/Agência Lusa
 
O presidente dos Estados Unidos Barak Obama esteve na sede do governo Argentino na companhia de Maurício Macri. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (23) e ambos manifestaram solidariedade e desejo de que o Brasil supere a crise política.
Eles não mencionaram o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, em tramitação na Câmara dos Deputados, ou às denúncias de corrupção que estão sendo investigadas no país. A ênfase foi colocada nas instituições democráticas brasileiras que, segundo Obama e Macri, poderão ajudar o país a solucionar seus problemas e sair fortalecido.

“Sobre o Brasil, não o discutimos intensamente – apenas [dissemos] que ambos esperamos que o Brasil resolva sua crise política de maneira efetiva”, afirmou o presidente americano. Segundo ele, Brasil é um grande país, amigo tanto dos Estados Unidos quanto da Argentina.

“A boa notícia, algo que me foi apontado pelo presidente Macri, é que a democracia [brasileira] é madura e suas estruturas são fortes”, acrescentou Obama, em entrevista coletiva ao lado de Macri. Segundo o chefe do governo americano, isso que vai permitir ao Brasil “prosperar” e ocupar uma posição de liderança. “Precisamos de um Brasil forte.”

Macri também falou sobre a preocupação com a crise no Brasil. “Estamos acompanhando de perto. Temos afeto pelo povo brasileiro, que é nosso principal parceiro estratégico”, disse. “Estamos convencidos de que o Brasil vai sair fortalecido desse processo, dessa crise. E esperamos que isso ocorra o mais rápido possível, porque os acontecimentos no Brasil afetam a Argentina.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário