VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 1 de março de 2016

Em ano eleitoral, prefeito muda gradualmente discurso de 'rombo' nos cofres públicos, mas benefícios não devem alcançar professores

Bernal anuncia volta de gratificações e reajuste salarial de servidores


O prefeito Alcides Bernal (PP) fez questão de dizer que está revertendo o jogo e anunciou a retomada de benefícios que são direitos do servidor público. “Em setembro do ano passado, muitos acreditavam que eu não conseguiria pagar o 13° salário e, hoje, estou dando uma resposta, ao pagar o salário dos 22 mil servidores em dia”, destacou o gestor, durante agenda pública, nesta manhã (1), na aula inicial do instituto Mirim.

Bernal anunciou que depositou hoje R$ 95 milhões, referentes aos salários dos servidores. Além disso, para alegria de muitos, o prefeito fez outra promessa, dizendo que irá revogar um decreto no qual cancelava promoções, pagamento de férias. A partir de maio, segundo ele, serão oferecidas as gratificações de progressão funcional e ascendência de carreira.

Também revelou que deve conceder o reajuste anual dos servidores públicos, apesar de não garantir que o aumento irá cobrir os índices inflacionários do período. “A partir de maio, também vou conceder o aumento a todos os servidores municipais dentro da data-base. Não vou divulgar dados referente aos valores, porque ainda estamos em fase de negociação”, contou, bastante otimista, mudando aquele discurso que a prefeitura não tinha verba.

No entanto, os benefícios não devem chegar aos professores, que estão insatisfeitos com o fato de não receberem o tal almejado reajuste. Diante disso, o prefeito contou que está em fase de negociação e que abriu a parte financeira da prefeitura, demonstrando o motivo de não ser possível o reajuste, que não poderá ser atendido devido ao endividamento do limite prudencial.


Além do mais, o prefeito alega que pode até sofrer de improbidade administrativa, caso ultrapasse o limite prudencial e dê aumento aos professores. “Os professores já tem o maior salário do Brasil, em torno 138% em comparação aos demais...”, se justificou

Nenhum comentário:

Postar um comentário