VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 13 de março de 2016

Poucos políticos 'aparecem' no protesto de Campo Grande contra governo petista

Todos afirmam que foram como cidadãos

  • Eduardo Cury (Kemila Pellin/Midiamax)
  • Poucos políticos foram vistos no protesto deste domingo (13) em Campo Grande. Os vereadores Luíza Ribeiro (PP), Eduardo Cury (PTdoB) e José Chadid (PSDB), além do deputado federal Elizeu Dionízio (PSDB) e estadual Paulo Corrêa (PR) estão nas ruas da Capital pedindo a saída da presidente da República, Dilma Rousseff (PT).

    “Temos que fiscalizar, tem partidos que têm cargos e por isso se calam”, disse Elizeu que estava acompanhado pela família. “Meu partido é o Brasil, se quiserem prender o Aécio (Neves) é um favor que fazem”, avaliou Cury.
    Ao decorrer o presidente regional do PSDB e secretário de Estado de Fazenda, Márcio Monteiro, informou que grande parte dos tucanos acompanhariam o ato. Informações extraoficiais davam conta de que cada secretário do governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), levaria pelo menos 80 pessoas junto.Na sexta-feira os grupos que organizaram o ato na Capital entraram e conflito justamente por conta da participação de políticos.
    Apoiam o ato: Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso Sul), Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), Força sindical (com 42 sindicatos) Maçonaria, Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes), Associação Veredas da Fé, Moto Clube Bodes do Asfalto, Sindicato dos taxistas de Campo Grande e Sindicato Rural de Campo Grande.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário