ASSISTA TAMBÉM

Loading...

Barra de vídeo

Loading...

sábado, 31 de outubro de 2015

Puccinelli aciona Justiça e quer processar vereadora por depoimento ao Gaeco

Parlamentar citou desvio em tapa-buraco e golpe

O governador André Puccinelli (PMDB), por meio de seu advogado, Renê Siufi, acionou a Justiça para pedir explicações a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) sobre depoimento dado por ela a Força Tarefa do Ministério Público, onde ela o citou em vários oportunidades, fazendo, inclusive, menção a desvios do período que foi prefeito de Campo Grande.
O advogado faz várias perguntas a vereadora, alegando que os esclarecimentos são necessários para que possa analisar a viabilidade do ajuizamento de uma ação penal por calúnia e difamação, por conta do depoimento.
A defesa de Puccinelli cita trechos do depoimento de Luiza, onde ela relata possível desvio no sistema de tapa-buraco em Campo Grande, desde a primeira administração dele como prefeito de Campo Grande, iniciada em 1997.
“Funcionários que passaram pela Prefeitura em outro tempo. Há tempo recente. Há tempo mais antigo. São pessoas que nos dizem com maior clareza: Olha, eles dividiam a cidade em lotes físicos aonde estes lotes foram licitados as empresas e há um rodízio que a empresa faz o serviço ou faz a emissão da nota...  Isso é afirmado assim como um esquema já consolidado né, que cresceu muito no último período, do Gilmar Olarte. Um período que saltou aos olhos e tal. Mas, que isso vem sendo montado há vários anos, inclusive no período do próprio André Puccinelli e depois no período do Nelsinho Trad se consolidou”, diz trecho do depoimento citado.
O advogado ainda cita trecho onde Luiza diz que é um sistema pensado, visto que tem baixa fiscalização dos recursos, já que são municipais. “As pessoas dizem que na época do André, era o André que mandava. Na época do Nelson, o Nelson mandava um pouco e um pouco o João Amorin. Agora, no Olarte, o João Amorin era sócio da prefeitura”, acusou.
No pedido de explicação o advogado também cita depoimento de Luiza relatando possível golpe para queda de Alcides Bernal (PP).  Segundo trecho anexado, Luiza disse ao Ministério Público que Puccinelli não aceitou a eleição por motivo financeiro.
“Não aceitou, mas não é uma coisa afetiva. Não aceitou porque não é bom. Não aceitou porque foi derrotado. Não é isso. É uma coisa comercial, de dinheiro. Tem a ver com mais facilidade ou menos facilidade de se arrancar dos cofres públicos aquilo que se pretendia para viver bem, para viver melhor, para os seus viverem melhor. Para fazer novas eleições, pagar outras situações”, declarou.
Segundo o advogado, é evidente que as afirmações sem qualquer suporte atribuem ao ex-governador a pecha de assaltante dos cofres públicos, em um prejuízo moral que afeta a credibilidade como médico e prefeito da cidade e governador do Estado por duas vezes. Desta maneira, requer explicações no prazo de 48 horas

Ex-prefeito recebe quase R$ 10 mil para ministrar 'palestras' em Caravana da Saúde

Foto: Tatiane Queiroz/G1MSFoto: Tatiane Queiroz/G1MS
O ex-prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho (PTB) é um dos servidores públicos lotado na Secretaria de Estado de Saúde que teve divulgado o salário, após implantação do Portal  da Transparência. Lá consta que, mesmo sem exercer a função para a qual foi designado – especialista de serviço de saúde – o petebista recebe um salário de R$ 9.678,44. De acordo com dados do Portal da Transparência, o valor supera aos dos demais colegas que cumprem a mesma função.
Nelsinho Trad é concursado desde 1989, e não está prestando serviço em nenhum hospital do Estado de Mato Grosso do Sul. Para justificar o salário, atualmente, o ex-prefeito tem ministrado palestras na Caravana da Saúde - programa do governo estadual.  Segundo Nelsinho, ele participou da caravana em Corumbá e irá participar da próxima prevista para o município de Naviraí.
Conforme ex-prefeito, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB)  irá implantar um novo projeto por meio de parceria de empresas privadas, o qual também irá participar. A parceria de Nelson Trad Filho com o governador do Estado firmou-se  nas eleições para governo do Estado em 2014, quando Nelsinho apoiou Reinaldo Azambuja durante o segundo turno.

Nova unidade da Fibria Celulose em Três Lagoas vai gerar 40 mil empregos


Fotos: Ricardo OjedaFotos: Ricardo Ojeda
Com investimento de R$ 7.7 bilhões, a Fibria inaugurou nesta sexta-feira (30) as obras da segunda unidade da indústria de celulose em Três Lagoas - distante 337 quilômetros de Campo Grande.
A expectativa é de geração de 40 mil empregos diretos e indiretos entre período de obras e posteriormente em 2017 com início do funcionamento da unidade, batizada de Horizonte 2. Conforme presidente da Fibria, Marcelo Castelli, a produção deve ser de 3.05 milhões de toneladas de celulose por ano.
A execução do Projeto Horizonte 2 contará com cerca de 60 fornecedores locais e deverá somar à arrecadação municipal e estadual R$ 450 milhões durante a construção. A estrutura de financiamento do Projeto Horizonte 2 envolve agência de créditos de exportação (ECAs), BNDES e Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO).
A Fibria também já realizou contratação de US$ 400 milhões em empréstimo sindicalizado com instituições financeiras e emitiu R$ 675 milhões em Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA).
Participaram do evento, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a senadora Simone Tebet (PMDB), ministra da Agricultura, Kátia Abreu, prefeita de Três Lagoas, Márcia Moura (PMDB) além de deputados e vereadores do Município. 

Acadêmico de Engenharia é preso ao aplicar golpe de R$ 25 mil em empresa

A polícia está à procura do comparsa que o ajudou a desviar mercadorias da internet que deveriam ser distribuídas em Campo Grande

O estudante de Engenharia Civil, Pedro Henrique Ferreira Mongelo, de 20 anos, foi preso em flagrante após aplicar golpes, desviando mercadorias da internet que deveriam ser entregues em Campo Grande. A estimativa da vítima é de prejuízo em torno de R$ 25 mil.

O empresário Rodney Gonçalves Medina, de 28 anos, relatou à polícia que possui uma empresa de transportes e que o funcionário, Pedro estaria cometendo tal golpe. Após denúncia, Pedro foi encontrado na Rua José Borges Nascimento, no Bairro Rouxinóis.

Ao ser questionado a respeito das mercadorias desviadas que devem equivaler ao montante de R$ 25 mil, Pedro relatou que agiu juntamente com outro funcionário, identificado como Maurício Ribas Dutra Junior, de 38 anos.

Como a empresa é contratada por sites para fazer entregas de mercadorias pela cidade, o esquema montado por ambos era não levar os itens para os endereços indicados. Pedro levou grande parte do produto para Maurício, no Santo Amaro, e o restante foi para sua residência, no Rouxinóis.

Na casa de Pedro, a polícia encontrou quatro celulares, dois tênis, vestido e camiseta. Já no Bairro Santo Amaro, o outro autor não foi encontrado e nem os produtos furtados.

O caso foi registrado como apropriação indébita na delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Piratininga e segue sendo investigado.

PT coloca 'ponto final' em relação com Bernal


Os vereadores do PT demonstram que não possuem diálogo com Alcides Bernal e ressaltam críticas sobre a gestão

A boa relação que o PT (Partido dos Trabalhadores) mantinha com o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), na primeira gestão do pepista, parece que teve um ponto final, já que os petistas mudam até a feição do rosto ao ouvir questionamentos sobre o Chefe do Executivo.

Bernal, que na última semana afirmou aoTopMídiaNews que "Alex (o vereador Marcos Alex) estaria mentindo ao falar que não está dialogando com o prefeito" se tornou alvo principal das críticas dos vereadores da sigla na Câmara Municipal.

O fato é que o próprio vereador Marcos Alex, que era cogitado para ser seu braço direito na Casa, com os 'burburinhos' indicando que o parlamentar seria o líder de Bernal, destacou que se esforçou para fazer seu partido participar da gestão, mas os erros do prefeito não colaboraram.

"Eu me esforcei muito para o PT fazer parte do governo do Alcides Bernal, mas ele renegou e menosprezou o nosso partido. Não existe relação entre ele e o PT. Eu gosto das coisas certas, das coisas que dão certo", diz o vereador.

Alex está tão descontente, que apontou os pontos em que diverge do prefeito da Capital. "Eu não concordo com essa questão que ele levantou agora de ter a ajuda do exército na operação tapa-buraco, essa não é uma medida correta. O prefeito está acumulando dívidas na Capital e eu não posso concordar com isso".

O que chama a atenção é que o prefeito fala que está dialogando com frequência com os parlamentares, mas a atitude dos vereadores não demonstra um clima de paz e união. Além de Alex, Bernal disse que estava conversando com Airton Araújo (PT), que também nega aproximação política com o prefeito.

Airton chegou a dizer que a prefeitura deve buscar soluções para os problemas enfrentados pela população. "A prefeitura tem que se virar para solucionar esses problemas, nós estamos aqui para cobrar soluções e vamos cobrar, doa a quem doer. Falta competência para tudo em Campo Grande", disse Airton.

Bernal chegou a oferecer espaço para o PT na Secretaria da Mulher e Secretaria da Juventude, porém, o partido recusou o a oferta e optou por 'manter distância do PT'. Após se distanciar de Bernal, os petistas afirmam que mantém postura independente dentro da Casa e garantem que devem votar em projetos de benefício para a Capital.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Bernal não pode ser cassado duas vezes pelo mesmo motivo, dizem vereadores

Decisão federal, no entanto, pode ajudar a defender cassação em outro processo

Vereador Paulo Siufi (Divulgação / CMCG)Vereador Paulo Siufi (Divulgação / CMCG)
Juridicamente, a Câmara Municipal não pode cassar novamente o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), mas pode usar decisão contrária a ele para reforçar argumentos de defesa em ação que questiona a cassação de março de 2014. O esclarecimento foi feito durante a sessão desta quinta-feira (29) pelo vereador Otávio Trad (PTdoB), que é advogado, ao comentar eventual ato do legislativo em relação ao fato de a Justiça Federal bloquear bens do pepista sob suspeita de irregularidades em contrato da merenda escolar.
Segundo Otávio, o prefeito já foi cassado pela Câmara – em decisão de março de 2014, após a CPI do Calote e uma comissão processante – em medida que levou em conta, inclusive, o mesmo motivo da ação na Justiça Federal. Bernal teve R$ 1,9 milhão bloqueados.

O que pode ser feito, segundo o parlamentar, é a procuradoria jurídica da Câmara anexar o caso federal no âmbito do processo judicial, na Justiça local, que questiona a cassação. Bernal está no cargo graças a uma liminar da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, dada em maio do ano passado, depois reformada no TJ (Tribunal de Justiça) e depois mantida em nova decisão da corte de segunda instância, em agosto último.
“A cassação foi lícita, o prefeito está no cargo porque recorreu, então a Câmara não pode cassá-lo duas vezes”, compactua Paulo Siufi (PMDB). Segundo o peemedebista, a decisão no caso da merenda “vai pesar muito” no julgamento do mérito da cassação: “a Justiça que o colocou de volta e tem que tirá-lo, se for o caso”.

Segredo

O vereador José Chadid (sem partido), secretário de Educação na época do caso e réu na ação, disse que “por ser professor de direito na graduação e pós-graduação” deve respeitar o segredo de Justiça do caso. No entanto, disse ter documentos comprovando a legalidade do contrato questionado no processo e, portanto, tem a consciência tranquila.

Empresa de ônibus quer elevar preço da passagem para R$ 3,50 na Capital

Edivaldo Bitencourt e Antonio Marques

Queda no número de passageiros pode elevar ainda mais o preço da passagem de ônibus (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Queda no número de passageiros pode elevar ainda mais o preço da passagem de ônibus (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)
O consórcio Guaicurus solicitou ajuste de 16,6% na tarifa do transporte coletivo de Campo Grande a partir deste mês. Em decorrência do aumento de 14,05% no preço do óleo diesel e da queda no número de passageiros pagantes, a empresa pretende elevar o valor da passagem de R$ 3 para R$ 3,50.

Segundo o prefeito Alcides Bernal (PP), as planilhas com o valor proposto pelo consórcio estão sendo analisadas pelo município. O trabalho é realizado por equipes da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Delegados).
O maior peso no cálculo da tarifa é o óleo diesel, que acumula alta de 14,05% nos últimos 12 meses, de R$ 2,626 para R$ 2,995, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo). O produto foi contemplado com a redução na alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), de 17% para 12%, mas continua mais caro por causa dos últimos dois reajustes praticados pela Petrobras.
Bernal admitiu que o principal problema para manter o valor congelado é a queda no número de passageiros pagantes. Segundo a Agetran, houve redução de 1,1% no volume total de passageiros transportados, de 218.313 para 215.860, considerando-se a média diária entre 2013 e 2014. No entanto, nos últimos 10 anos, o número de passageiros cresceu 9,27%, de 197,5 mil para 215,8 mil. A frota teve aumento de 14% no mesmo período, de 511 para 583.
A data-base do reajuste no transporte coletivo é outubro. O prefeito sinalizou que vai segurar o máximo que puder para autorizar o aumento.
Se autorizar o reajuste de 16,6%, o aumento será superior à inflação acumulada nos últimos 12 meses, 9,82%, segundo o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) calculado pela Nepes da Uniderp.

Dilma Rousseff deve chegar às 9h10 e permanecer por três horas em MS

Renata Volpe Haddad


Presidente chega em MS às 09h10 para lançamento da pedra fundamental Projeto Horizonte 2, da Fibria. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)Presidente chega em MS às 09h10 para lançamento da pedra fundamental Projeto Horizonte 2, da Fibria. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
A chegada da presidente Dilma Rousseff amanhã (30) em Três Lagoas, distante 338 km de Campo Grande, está prevista para 09h10 no aeroporto do município. Dima vem a Mato Grosso do Sul para o lançamento da pedra fundamental do Projeto Horizonte 2, de ampliação da Fibria, que terá investimento de R$ 7,7 bilhões e deve gerar 40 mil empregos.

De acordo com a assessoria da prefeitura de Três Lagoas, a presidente sai de Brasília às 9h e chega em Mato Grosso do Sul às 9h10 no horário local.
No cronograma, consta que Dilma será recepcionada ainda no aeroporto pela prefeita do município Márcia Moura (PMDB), pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB) e pela senadora, Simone Tebet (PMDB).
Do aeroporto, a presidente segue de helicóptero até o local do evento. Ela deve percorrer as instalações da Fibria e onde será construído o Projeto Horizonte 2. Os deputados estaduais Eduardo Rocha (PMDB), Angelo Guerreiro (PSDB) estão confirmados.
A presidente deve retornar para Brasília ao 12h. A assessoria de imprensa da presidência da República não divulgou a agenda oficial, que ainda está sendo definida. 

Prefeitura reajusta em 9,56% o ISS pago por profissionais autônomos


Priscilla Peres

O valor pago por profissionais liberais e autônomos de ISSQN (Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza) está quase 9,56% mais caro a partir de janeiro. Os valores reajustados foram publicados no Diário Oficial do município hoje e variam entre R$ 45,34 a R$ 1.450, de acordo com o nível do profissional.

A resolução 002/2015 da Semre (Secretaria Municipal de Receita de Campo Grande) publicada hoje, estabelece os valores de ISSQN que deverão ser pagos por profissionais liberais ou autônomos, por ano ou mês.
Dessa forma, o profissional de nível superior vai pagar R$ 1.450,92 em 2016, contra R$ 1.324,20 neste ano. Ainda na categoria anual, quem tem nível médio ou técnico e paga R$ 496,56, passará a desembolsar R$ 544,08. Esses mesmos valores valem para nível básico.
A lei também estabelece os valores mensais. Assim, nível superior que antes pagava R$ 110,35 passará a pagar R$ 120,91. Para nível médio, técnico e básico os valores passaram de R$ 41,38 para R$ 45,34.
Em todas as categorias o reajuste foi de 9,56%. A resolução entre em vigor hoje com efeitos a partir de janeiro de 2016 e é assinada pelo secretário municipal de Receita, Disney de Souza Fernandes.

Sem presença da base e com elogios da oposição, Bernal lança obra na Moreninhas


Bernal lança retomada das obras da UPA Moreninhas sem vereadores da base aliada/Foto: Taciane PeresBernal lança retomada das obras da UPA Moreninhas sem vereadores da base aliada/Foto: Taciane Peres
Sem presença dos vereadores da base aliada e com elogios de opositores, o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), participou da solenidade de retomada das obras da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Moreninhas.
Atualmente, integram base de Bernal na Câmara, os vereadores: Luiza Ribeiro (PPS), José Chadid, Cazuza (PP), Eduardo Cury (PTdoB) e Betinho (PRB), porém, tem sido frequente a ausência dos aliados em eventos públicos.
Bernal desde que retomou comando da Prefeitura em 27 de agosto deste ano tem enfrentado problemas em consolidar base aliada, que encolheu. Antes de ser cassado, em março de 2014, o Prefeito contava com apoio de seis vereadores, hoje, embora tenha angariado Cury, que é suplente de Paulo Pedra (PDT) nomeado secretário de governo, e Betinho, que assumiu cadeira na Câmara após renúncia de Alceu Bueno, o Prefeito perdeu três vereadores da bancada do PT e mesmo os que se dizem base não poupam críticas ao chefe do Executivo.

    Nesta quarta-feira (28), o presidente em exercício na Câmara, Flávio César (PTdoB), criticou Prefeito e disse que “Câmara não aceitará calada agressões de Bernal”. Em resposta, Bernal disse nesta quinta-feira (29) que não considera nenhuma de suas atitudes agressiva aos vereadores. “Não tem ataque nenhum, não sei de onde estão tirando isso. Tem vereadores aqui. Eu respeito Câmara, a posição de cada um, inclusive dos independentes.”
    O clima de tensão entre Bernal e vereadores tem aumentado em especial nas últimas semanas com andamento da investigação da Operação Coffee Break e também com trocas de farpas entre progressista e integrantes da oposição. Na terça-feira (27), a maioria dos parlamentares avaliou de forma negativa os 60 dias de Bernal após volta à Prefeitura e dos aliados apenas Cazuza saiu em defesa do Prefeito na ocasião.
    No evento, estavam presentes apenas os vereadores Chiquinho Telles, Coringa, ambos são do PSD e da região Moreninhas, e o vereador Saci (PRTB), fiel aliado do ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB). Os dois não pouparam elogios a Bernal pela retomada das obras.
    “Apesar das diferenças, vamos trabalhar juntos no que for melhor pra cidade. Temos que elogiar Bernal porque ele pensou no comunitário e temos que ser justos reconhecer o que foi feito”, disse Chiquinho. 

    Luiza não comenta ataques de Carla e diz que respeita vereadora


    Vereadora Luiza Ribeiro/Foto: Wanderson LaraVereadora Luiza Ribeiro/Foto: Wanderson Lara
    Depois de ser chamada de irresponsável pela vereadora Carla Stephanini (PMDB) por conta de denúncia de "mensalinho" feito ao MPE (Ministério Público Estadual) em depoimento, a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) conversou com imprensa durante sessão da Câmara desta quinta-feira (29).

      ?"Não vou me pronunciar a respeito deste caso, respeito a posição da vereadora, mas não tenho nada pra falar a respeito nem do depoimento que foi vazado e nem sobre isso, apenas respeito o posicionamento". 
      Carla usou tribuna durante sessão para exigir da Casa medidas éticas em relação a Luiza, que relatou em depoimento ao MPE declarou que vereadores recebiam dinheiro desde época do prefeito André Puccinelli (PMDB) para votar medidas favoráveis à Prefeitura. Carla ainda disparou contra PPS, partido do qual Luiza é filiada dizendo que sigla busca alianças por status. O PPS hoje é um dos principais partido de apoio do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tendo seu presidente regional, Athayde Nery, secretário na gestão tucana. 
      A peemedebista ainda citou condenação pelo TCU (Tribunal de Contas da União) do marido de Luiza Ribeiro. Sobre isso, Luiza disse que "não faz política em cima dos princípios da sua família."

      Siufi quer cassação de Alcides Bernal


      O vereador Paulo Siufi (PMDB) (foto: Dany Nascimento)Com desvio na merenda, Siufi quer cassação de Alcides Bernal
      O vereador Paulo Siufi (PMDB) (foto: Dany Nascimento)
      O vereador Paulo Siufi (PMDB) elogiou o trabalho do TopMídiaNews na manhã desta quinta-feira, 29, ao usar uma matéria publicada sobre o desvio de verba das merendas escolares na gestão do prefeito Alcides Bernal (PP), para pontuar o que, na opinião dele, são indícios de improbidade administrativa.

      Siufi leu, parágrafo por parágrafo, o material da reportagem junto ao presidente da Casa, Flávio César (PTdoB) e explicou todos os pontos às pessoas presentes na sessão. “A imprensa vem fazendo um papel muito importante divulgando a verdade. Vem mostrando a verdade”, elogiou.

      Foi então que o vereador concluiu a explicação, ao afirmar que Bernal deve ser cassado por improbidade administrativa. “Diante disso, entendo que a justiça deve afastar Bernal por improbidade administrativa - diante dos erros que vem cometendo -, pois é uma prova de que a Câmara cassou Alcides Bernal baseado em crimes cometidos por ele”, defendeu.

      De acordo com o documento obtido pelo TopMídiaNews, a denúncia do Ministério Público Federal tem como base um inquérito civil público, instaurado pela Procuradoria da República no Mato Grosso do Sul, e tem como foco o contrato da empresa Salute Distribuidora de Alimentos Ltda, desde a dispensa ilegal de licitação, sobrepreço nos produtos ofertados e a não aplicação de multa à empresa.


      A denúncia foi aceita pela Justiça Federal, e Bernal está com os bens bloqueados.

      Polícia desencadeia 'Operação Ícaro' e descobre megaesquema na Capital


      Os investigadores da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado cumprem seis mandados de busca e apreensão em quatro residências

      A "Operação Ícaro" foi desencadeada na manhã de hoje (29) pela DECO (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado), para apurar  possíveis furtos e receptação de peças de aeronaves subtraídas de oficina aeronáutica de Campo Grande.

      O objetivo da Operação é verificar as condições de aeronavegabilidade e segurança de voo das aeronaves civis principalmente pelos graves acidentes ocorridos nos últimos anos em Mato Grosso do Sul, identificando assim, os autores e receptadores. No total, seis mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em quatro residências de suspeitos.

      Os policiais estão neste momento na Rua Spipe Calarge Dom Pedrito, verificando um possível comércio que conserta aeronaves. Anali Souza, 33 anos, esposa de Marcelo Nascimento, 39 anos, que foi abordado pelos policiais sendo apontado como um dos investigados na Operação, afirmou que seu marido faz 'bicos' para o sustento da família e trabalha no local fazendo reparos em aeronaves a portas fechadas.

      "Fui acordada pelos policiais 6 horas na minha casa no Jardim Noroeste, eles estão cumprindo mandado de busca e apreensão, mas na minha casa só pegaram alguns documentos pessoais e arquivos da empresa. Aqui não está aberta a empresa, meu marido está aguardando a homologação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil ). Trabalhamos com as portas fechadas, mas é lógico que ele faz algumas manutenções porque é daí que vem o sustendo dos meus filhos", diz Anali.

      Anali acredita que a denúncia sobre o funcionamento do local a portas fechadas pode ter vindo do ex-patrão de seu esposo. "Não sei o que está acontecendo, nem a procedência das peças, mas creio que tudo estará esclarecido. Acho até que pode ser denúncia do antigo patrão porque tem medo da concorrência. A polícia está fazendo o papel dela e vamos descobrir o que está acontecendo".

      Além dessa oficina aeronáutica, os policiais pretendem fiscalizar uma oficina aeronáutica no m hangar no aeroporto Santa Maria. A Operação já apreendeu uma aeronave modelo CESNNA 180 que tinha peças furtadas e será submetida a exames Pericias.

      MP pede que Justiça condene ex-secretário e sindicalista que incentivaram fraude de ponto

      Em agosto, vídeo em que Jamal e Tabosa apareciam orientando servidores caiu na rede

      ALINY MARY DIAS E RODOLFO CÉSAR29 de Outubro de 2015 | 09h38
      Vídeo caiu na rede em agosto deste ano 
      (Foto: Reprodução)
      Vídeo caiu na rede em agosto deste ano
      O Ministério Público Estadual (MPE) se manifestou em ação que tramita na Justiça desde o mês de agosto e tem como réus o ex-secretário de saúde e atualmente vereador Jamal Salém (PR) e o sindicalista Marcos Tabosa, que representa os servidores municipais. Na manifestação, a promotoria pede que a Justiça condene os dois por terem supostamente incentivado agentes de saúde da prefeitura a fraudar pontos para receber mais em expediente de 30 horas.
      A ação civil pública tramita na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos desde o dia 17 de agosto, pouco tempo depois de vídeo - em que Jamal e o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande (Sisem) apareciam discursando em reunião com agentes de saúde - cair na rede.
      Na gravação, o secretário e o sindicalista orientavam que os agentes de saúde batessem o ponto como se estivessem fazendo uma carga horária de 40 horas semanais, mas na verdade eles atuavam no expediente de 30 horas.
      A orientação irregular foi negada tanto por Jamal quanto por Tabosa, à reportagem e à Justiça.
      Em manifestação datada do fim da semana passada e encaminhada à Justiça na última terça-feira (27), o promotor Alexandre Capiberibe Saldanha afirmou que está comprovado que “as condutas praticadas pelos requeridos oportunizaram aos agentes comunitários de saúde o recebimento integral de suas remunerações sem a devida contraprestação dos serviços”.
      Por fim, o promotor pede que a Justiça acate o pedido do MPE pela condenação de Jamal e Tabosa no prazo de 30 dias. Ainda não houve manifestação do juiz responsável pelo processo, Marcelo Ivo de Olveira.