VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Puccinelli não será candidato a prefeito de Campo Grande

Waldemar Gonçalves
Lavando as mãos – O ex-governador André Puccinelli não é candidato a prefeito de Campo Grande pelo PMDB este ano. Qualquer conversa diferente desta é especulação ou perda de tempo. O peemedebista direciona seu empenho no processo eleitoral no interior de Mato Grosso do Sul, já de olho em 2018.
De olho em 2018 – A ideia de Puccinelli, nas eleições de 2016, é ajudar ao máximo a eleger aliados em várias prefeituras no Estado para ter em troca o apoio deles na disputa pela sucessão estadual. Voltar ao comando da Governadoria é a meta, portanto.
Situação crítica – Apontado por correligionários como nome mais forte para assumir a Prefeitura de Campo Grande, Puccinelli rejeita encarar a campanha por um motivo simples: acha que a situação da cidade é crítica e sem viés de recuperação em curto prazo. O sucessor de Alcides Bernal (PP) levará ao menos dois anos para consertar os estragos dos últimos anos, avalia o ex-governador.
Na vez – Dentro do PMDB, o projeto das eleições de 2016 ruma para cair nas mãos do deputado estadual Márcio Fernandes. Ele, inclusive, foi para o partido este ano já contando com a possibilidade de disputar a Prefeitura da Capital.
Costurando alianças – Outro nome que poderia representar o grupo do ex-governador é o da deputada federal Tereza Cristina (PSB). Algo que ela não quer. A opção, portanto, recai para Fernandes. Semana que vem, o deputado acompanha Puccinelli em Brasília, onde reuniões podem selar um acordo com outras legendas para o lançamento da candidatura do parlamentar em Campo Grande.
Estátua – Vereadores chegam aos bairros para vistoriar obras munidos de fotógrafos e equipe de filmagem para registrar deficiências no aparelhamento público. O número de profissionais de comunicação é sempre pelo menos o dobro em relação ao de parlamentares. Alguns fazem pose, caras indignadas, levantam o braço indicando as obras e ficam paradinhos, até que muitas fotos sejam tiradas.
Campanha, já? – Nesta quarta-feira, durante a ‘blitz’ semanal dos vereadores em bairros, um dos parlamentares colocou “cinquentinha” no bolso de um dos moradores, “para tomar uma pinguinha”.
Bate e assopra – O prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP), tem tentado estreitar a relação com o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB). Mas, vira e mexe não se contém e dá uma cutucada. Nesta semana, disse ironicamente durante uma agenda pública: “não somos caravana. Aqui em Campo Grande promovemos saúde o ano todo”.
Benefícios ao interior – A ideia de regime de incentivo fiscal diferenciado para que cidades com orçamentos menores consigam atrair investimentos deve chegar em breve à Assembleia Legislativa. Para o deputado estadual Paulo Corrêa (PR), a proposta do governo estadual beneficiará localidades como Japorã, Corguinho ou Rio Negro, que poderão conseguir atrair indústrias com mais facilidade.
Emendas prontas – O líder do governo na Assembleia Legislativa, Rinaldo Modesto (PSDB), disse ontem que os parlamentares já fizeram as indicações de emendas. Resta agora que as prefeituras e entidades enviem suas documentações. “O governador vai assinar as emendas ainda nesse semestre em função da legislação eleitoral”, finaliza o tucano.
(com a redação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário