VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Prefeitura deixa pra última hora, e deve lançar licitação para kits escolares esta semana

O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) informou nesta quarta-feira (20) ao MS Noticias que o edital de licitação para compra de kits escolares deverá ser publicado nesta semana. Bernal disse ainda que há possibilidade dos materiais não serem entregues na data prevista, ou seja, antes do dia 15 de fevereiro, quando iniciará o ano letivo na Rede Municipal de Educação (Reme). “Uma equipe da secretaria está concluindo processo licitatório. Vamos encaminhar para Central de Compras. Risco de atrasar há sempre porque vai precisar fazer disputa pelo menor preço”, explica.
Esta semana empresários da Capital informaram à equipe do MS Noticias que a Prefeitura está tendo dificuldades em conseguir participantes para licitar a compra dos materiais escolares. Segundo empresários, o motivo seria a falta de pagamento às empresas que prestam serviços para o município. De acordo com representes do setor, o não cumprimento da quitação de dívidas não dá segurança  para firmar compromisso com prefeitura.
Durante coletiva à imprensa, Bernal reconheceu o problema para aquisição de kits mencionando a existência de um “boicote”. “Mesmo que tenham alguns interessados em boicotar a aquisição de merenda e kits escolares vamos entregar os kits”, afirma.
Até terça-feira (19), o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) repassou para Prefeitura Municipal de Campo Grande o valor de R$ 18.224.28,08. Desse total, pelos menos 40% pode ser utilizado para compra de kits escolares.
Sem confiança
Desde que retornou à cadeira do Executivo Municipal, em 27 de agosto de 2015,  Alcides Bernal tem enfrentado desgaste administrativo nos acertos com empresas que prestam  serviços para o município. Em setembro de 2015, os serviços de coleta de lixo foram paralisados por falta de pagamento. No mês seguinte, a CG Solurb manteve apenas 25% do serviço de coleta de lixo na Capital por falta de repasse da prefeitura. Na época, o repasse dos valores à empresa estavam atrasados há mais de 90 dias, conforme a CG Solurb . Os trabalhadores paralisaram por vezes por falta de pagamento.
Empreiteiras que realizam serviços de Tapa-Buraco estão com pagamentos em atraso. O saldo devedor da primeira parcela deveria ter sido quitado no dia 12 deste mês, o que não ocorreu. Bernal não explicou o motivo pelo qual pagamento não foi efetuado, mas garantiu que os serviços não serão suspensos e que vai repassar às empresas valor superior aos R$ 2 milhões previamente estabelecidos. “Tive reunião com todas as empresas e elas vão ampliar o número de equipes para fazer o  Tapa-Buraco. Todos os serviços que foram executados serão pagos,  as medições que já foram concluídas estão em fase de encaminhamento  de liquidação  e serão pagos.  Até o final do mês serão todos pagos”,  afirmou. Bernal. No dia 11 de novembro de 2015, Bernal anunciou contratação de cinco empreiteiras para realizar, durante três meses, serviços de “Tapa-Buraco” ao custo total de R$ 6 milhões. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário