VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Com novatos, Campo Grande pode ter mais de 10 candidatos a prefeito

Nelsinho é um dos poucos veteranos na disputa

A eleição em Campo Grande caminha para ser a mais competitiva dos últimos anos. A concorrência é tanta que ninguém se arrisca a dizer que a eleição será definida no primeiro turno, o que também aumenta o interesse dos candidatos.
Antes de 2012, as eleições em Campo Grande pareciam cartas marcadas, com uma hegemonia do PMDB por mais de 20 anos. Alcides Bernal (PP) e Reinaldo Azambuja (PSDB) entraram na disputa e conseguiram mais do que um segundo turno, vencendo Edson Giroto, então PMDB.
Sem alianças no primeiro turno, Bernal conseguiu atrair mais simpatizantes no segundo turno e venceu fácil. Agora, com partidos passando por crise e com Bernal em uma gestão contestável, diante de tantos problemas, seja financeiro ou político, é grande o número de interessados e, curiosamente, novatos na disputa pelo Poder Executivo.
A falta de um candidato que dispara na pesquisa, o sucesso alcançado por Bernal na última eleição e a crise dos grandes partidos está animando os novatos, que acreditam no desejo popular por um nome novo e sem desgaste político.
Vislumbrando futuro promissor, a previsão é de que Campo Grande tenha mais de 10 candidatos a prefeito e, a começar pelos que já se anunciam como pré-candidatos, este número pode ser bem maior.
Os nomes apresentados pelos maiores partidos evidencia esta briga de novatos. PT, PMDB e PSDB têm como pré-candidatos políticos que nunca participaram de eleições para o Executivo: Pedro Kemp (PT), Antônio Carlos Biffi (PT), Cabo Almi (PT), Amarildo Cruz (PT), Rose Modesto (PSDB), Carlos Alberto de Assis (PSDB), Eduardo Riedel (PSDB), Carla Stephanini (PMDB), e Paulo Siufi (PMDB) são alguns dos novatos que estão de olho na prefeitura.
Os três maiores partidos têm novatos como maioria, mas também há entre os pré-candidatos aqueles que já disputaram cargo no Executivo, como Carlos Marun (PMDB) e Márcio Fernandes, ambos sem sucesso, e o deputado Beto Pereira (PSDB), que já foi prefeito de Terenos.
Com grandes partidos em dificuldade, cresce o interesse dos pequenos e médios partidos, que também podem apresentar novatos no Executivo. Declaram-se pré-candidatos: Marquinhos Trad (PMDB), que deve se filiar ao PSD, Felipe Orro (PDT), ex-prefeito de Aquidauana, Ricardo Ayache (PSB), o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Mara Caseiro (PMB), ex-prefeito de Eldorado.
Nelsinho Trad (PTB) e Alcides Bernal (PP) podem fugir a regra e participar como figuras repetidas nesta eleição. Bernal é pré-candidato a reeleição e Nelsinho quer voltar ao comando da prefeitura. A vontade é tanta que ele foi procurar até o ex-governador André Puccinelli. Ele tem como barreira o irmão, Marquinhos Trad, que anunciou a pré-candidatura primeiro. Além dos já citados, há ainda partidos pequenos que tradicionalmente lançam candidatos. É o caso, por exemplo, de PSTU e PSOL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário