VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Nelsinho pede ajuda de Puccinelli e aumenta chance de briga com irmão

Ex-prefeito esqueceu traição e procurou ex-governador

Depois de sair do PMDB alegando que foi traído na eleição para o Governo do Estado, o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, agora no PTB, parece ter deixado as mágoas para trás. Fontes próximas ao petebista ressaltam seu interesse na disputa pela Prefeitura de Campo Grande e confirmam que ele tem procurado o ex-governador André Puccinelli (PMDB) para pedir apoio à sua candidatura este ano.
Ontem, sábado (23), Nelsinho usou as redes sociais para comemorar conquistas de seu partido. "Estamos alcançando o nosso objetivo de reestruturar e fortalecer o PTB/MS em todo o Estado", publicou. Todavia, viabilizar o apoio do PMDB em 2016 não será tarefa fácil, tanto que Puccinelli teria dicado de levar o pedido ao diretório estadual, que já havia decidido por candidatura própria.

Nelsinho tenta reeditar a parceria que o levou ao comando de Campo Grande por oito anos, mas pode encontrar dificuldade entre os peemedebistas que não gostaram da saída dele. O líder do PMDB na Assembleia, Eduardo Rocha, por exemplo, foi um dos que chamou Nelsinho de ingrato quando ele deixou o partido. O deputado federal Carlos Marun, ferrenho aliado do ex-governador, é outro que não esconde a vontade de ser o candidato peemedebista a prefeito da Capital. 
Caso consiga convencer o PMDB a apoiá-lo, Nelsinho ainda pode encontrar uma barreira dentro de casa. O irmão, Marquinhos Trad, declarou pré-candidatura antes de Nelsinho e não pensa em desistir para abrir mão para o irmão novamente.
Fábio Trad chegou a minimizar a situação constrangedora, afirmando não haver briga entre os irmãos. Porém, o desentendimento é inegável. Marquinhos esperava que Nelsinho abrisse mão da pré-candidatura para ele, o que não aconteceu.
Nelsinho assumiu o PTB dizendo que não tinha a pré-candidatura a prefeito como foco, mas também nunca disse que não seria. Diante do impasse, combinou com o irmão que não se enfrentariam nas urnas, mas continua tendo encontros com lideranças para pedir apoio.
A união de Nelsinho com Puccinelli pode ser decisiva para um embate em família. Marquinhos sempre foi desafeto de Puccinelli e pode encontrar nesta aliança uma saída para enfrentar o irmão, utilizando a rejeição ao grupo, que derrubou Edson Giroto (PR) em 2012, a seu favor.
Nelsinho, por sua vez, tenta provar para o irmão que sua candidatura é mais viável. Ele está correndo por fora para, no final, quando sentarem para conversar, convencer o irmão mais novo de que tem mais apoio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário