VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

PSDB define candidatura em pesquisa e cenário fortalece Rose

Uma pesquisa encomendada para depois do carnaval vai dar ao PSDB de Mato Grosso do Sul um dos principais parâmetros para a definição do projeto político-eleitoral deste ano em Campo Grande. Será uma pesquisa quantitativa para aferir junto à opinião publica qual o candidato ou candidata com o melhor perfil para administrar a capital. Segundo o presidente do Diretório Regional, o deputado federal licenciado e secretário estadual de Fazenda, Márcio Monteiro, o partido só abrirá o debate sobre nomes depois que tiver os dados dessa pesquisa, para dar início aos rituais políticos e normativos que antecedem à convenção de escolha das chapas para concorrer.Rose figura como favorita, mas PSDB define candidatura após pesquisa
Vice-governadora Rose Modesto é tida como nome forte do partido para disputar Prefeitura da Capital/Foto: Wanderson Lara
O deputado estadual Rinaldo Modesto, líder do Governo na Assembleia Legislativa, é favorável à metodologia porque qualifica a elaboração do projeto político e ao mesmo tempo mantém a presença popular como fiadora das decisões do partido. Mesmo saído das urnas de 2014 como segundo deputado estadual mais votado em Campo Grande, ele prefere citar outros correligionários que, a seu ver, também possuem credenciais para defender o ideário social democrata na eleição. “Temos a vice-governadora, professora Rose; o secretário de Administração, Carlos Alberto Assis; o vereador João Rocha; e o secretário de Governo, Eduardo Riedel. E há outras alternativas, mas qualquer uma dessas pessoas têm todos os atributos para governar Campo Grande”, declara.

Professora por formação, com um histórico de vida ilustrado por dificuldades naturais de uma família humilde do interior, Rose é irmã de Rinaldo, mas fez sua própria luz para firmar-se entre as mais expressivas representações políticas do Estado, juntamente com a senadora Simone Tebet (PMDB) e a deputada federal Tereza Cristina Corrêa da Costa (PSB). Destacou-se em duas candidaturas vitoriosas para a Câmara Municipal, sendo na segunda a vice-campeã de votos, atrás apenas de Zeca do PT. Aceitou ser a candidata a vice-governadora quando Azambuja era o terceiro colocado nas pesquisas, atrás de Nelsinho Trad (PMDB) e Delcídio Amaral (PT), favorito com folga até o primeiro turno.?Capilaridade – Alguns itens são essenciais para a escolha da candidatura, como, por exemplo, o comprometimento do governador Reinaldo Azambuja, principal cabo eleitoral dos tucanos, além do alcance da inserção social e da vocação para o diálogo e a aglutinação de apoios, sobretudo junto a forças que não integram o leque tradicional de alianças do PSDB. Nesse perfil e diante do cenário que se desenha, a vice-governadora e titular da Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Rose Modesto, é bastante fortalecida.
Um ingrediente foi fundamental para atestar o forte apelo eleitoral de Rose Modesto naquela campanha: sua capilaridade. Evangélica, Rose tem base consistente neste segmento, religião de várias igrejas e denominações identificadas na escolha de maiúsculos 38% da população campo-grandense. Basta lembrar que as organizações evangélicas realizaram no ano passado uma das maiores manifestações religiosas de rua na cidade, a Marcha para Jesus, com cerca de 100 mil pessoas. Mas o dedicado ativismo social de Rose atrai para ela admiração, respeito e apoio de outros credos cristãos.
O PSDB, na condição de partido nacional, aplica atenção redobrada no projeto de lançar candidaturas próprias em todas as capitais e nas maiores cidades brasileiras, empolgado pela performance eleitoral da disputa presidencial de 2014 e de olho em 2018. Por isso, o governador Reinaldo Azambuja reforça o interesse no projeto, conforme salienta o deputado Rinaldo Modesto: “Um partido como o PSDB não pode ficar fora de uma disputa majoritária desse porte”, enfatiza.
“Há muito tempo defendo candidatura própria. Fui voto vencido em 2008, quando o partido preferiu indicar Marisa Serrano para vice do prefeito Nelsinho Trad. Em 2012 também fiz de tudo para que tivéssemos chapa própria, quando a tendência indicava outros favoritos. Lançamos o Reinaldo, ele foi pro segundo turno e perdeu com 1% só de diferença. Com a vitória na sucessão estadual em 2014, creio estar consolidada essa vocação de crescimento e de vitórias”, acrescenta.
Apelo inclusivo – Wilton Acosta, diretor da Fundação Estadual do Trabalho (Funtrab) e presidente regional do PRB (Partido Republicano Brasileiro), é um dos mais ativos defensores da pré-candidatura de Rose Modesto. No entanto, recomenda muita serenidade e paciência para um processo que, em sua avaliação, deve ser liderado pelo governador e pelo PSDB. “Somos aliados e queremos aprofundar essa parceria, tendo em vista a sintonia entre o pensamento social do governo e o pensamento cristão”, explica.
De acordo com Acosta, a secretária Rose Modesto, embora seja uma liderança das novas gerações, já possui um considerável acúmulo de ações políticas em favor da sociedade. “Não é somente pelos números de suas vitórias eleitorais, mas sobretudo pela qualidade e pelos resultados de seu trabalho. Na Sedhast, em um ano conseguiu ampliar em 50% o alcance do programa Bolsa Universitária. Antes, tínhamos apenas 13 organizações não-governamentais conveniadas com o Estado para projetos de inclusão social, formação e treinamento para o mercado de trabalho. Hoje, o atual governo já fez convênios com 32 ONGs. E a secretária Rose ainda coordena esse trabalho magnífico e humanitário da Rede Solidária, um projeto efetivo de emancipação social, de cidadania”, finaliza Wilton Acosta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário